Um Município em Mato Grosso tem coleta de lixo mais inadequada
Fonte: Da Redação 27/02/2024 ás 20:58:08 619 visualizações

Dados do Censo Demográfico de 2022, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que o município de Santa Terezinha (1.210 km a nordeste de Cuiabá) tem a coleta de lixo mais inaqueda do Brasil, com o equivalente a 56,8% sem o serviço. A população do município é de 7.596 habitantes. Em segundo lugar, ficam os municípios de Caturama (BA) e São Luís Gonzaga do Maranhão (MA). 

Os resultados da pesquisa Censo foram divulgados na última semana. A coleta de lixo com descarte adequado já é realidade para 90,9% da população brasileira, segundo o IBGE. 

Contudo, 9,1% da população ainda recorre a soluções locais ou individuais para a destinação do lixo, como queimar ou enterrar os resíduos, o caso dos moradores de Santa Terezinha, onde 56,8% dos moradores não contam com o serviço de coleta. Do total não assistido no país, 7,9% das pessoas queimam o lixo domiciliar nas propriedades, 0,3% enterram e outros 0,6% jogavam em terrenos

A reportagem tentou contato por diversas vezes com a Prefeitura de Santa Terezinha para questionar sobre o que tem sido feito pela gestão municipal para mudar esse cenário. Porém, não teve retorno. O espaço segue aberto. O município de Santa Terezinha fica localizado na região nordeste de Mato Grosso, fazendo divisa com os estados do Tocantins e Pará. 

CENSO DEMOGRÁFICO

O Censo é uma pesquisa realizada a cada 10 anos pelo IBGE; a anterior foi feita em 2010. O levantamento realiza uma ampla coleta de dados sobre a população brasileira e permite traçar um perfil socioeconômico do país.

A atual edição do Censo deveria ter acontecido em 2020, mas foi adiada por conta da pandemia de covid-19. Em 2021, houve um novo adiamento em razão da falta de recursos do governo.

Além de saber exatamente qual o tamanho da população, o Censo visa obter dados sobre as características dos moradores, como idade, sexo, cor ou raça, religião, escolaridade, renda, saneamento básico dos domicílios.

Enviar um comentário
Comentários
Mais notícias