Sem opções, PSDB enquadra Avallone para disputa em Cuiabá
Fonte: Da Redação 30/01/2024 ás 21:02:05 265 visualizações

Vice-presidente do PSDB, Marcelo Maluf, declarou que a "escolha" do partido em lançar para a pré-candidatura à Prefeitura de Cuiabá, segue sendo o deputado estadual Carlos Avallone. Isso porque, segundo ele, é o único nome até o momento "forte" e consolidado na sigla. No entanto, não descartou que estão conversando com outros partidos e possíveis pré-candidatos.

"Inicialmente estamos lançando o presidente do partido no Estado, Carlos Avallone. É um nome consolidado dentro do partido, tem ampla vantagem, é um nome de consenso. A articulação em torno é do Carlos Avallone, já é consolidada. Mas, não dispensamos conversar com outros partidos para fazer uma frente de ampliação e coligação na Capital", disparou durante entrevista à rádio CBN Cuiabá na manhã desta segunda-feira (29).

Avallone é o atual presidente do PSDB e já havia declarado, no final do ano passado, que está avaliando a possibilidade de encabeçar a disputa ao Palácio Alencastro. O projeto é um desejo do presidente do partido tucano nacional, Marconi Perillo.

Maluf contou que a sigla já está construindo vários diretórios constituídos e comissões provisórias em Mato Grosso. Segundo ele, o PSDB está em processo de fortalecimento e deve alcançar quase a totalidade dos municípios do Estado, com candidaturas. Já são 36 diretórios constituídos e cerca de 62 comissões provisórias.

Atualmente o PSDB conta com 108 representantes do partido tucano no Estado. Para a disputa de 2024, os tucanos buscam ampliar esse número. Para tanto, a sigla já conta com 44 pré-candidatos e chapas de vereadores em quase todos os municípios.

"Presidente nacional pediu para que tenha candidato em todas as Capitais. Principalmente aqui em Cuiabá e vamos ter candidato sim. Estamos longe da eleição, mas estamos construindo nos municípios. Não estamos concentrando só nas cidades polos, mas em todos os municípios. Fazemos o chamamento dos nossos filiados para acreditarem no partido. É um partido de recuperação, de centro, que não aceita polarização, partido de centro-direita, se dá bem como todo mundo", explicou.

Enviar um comentário
Comentários
Mais notícias