Deputados de MT defendem Fávaro e não acreditam em queda do cargo
Fonte: Da Redação 20/06/2024 ás 09:49:39 628 visualizações

Deputados estaduais  saíram em defesa do ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro (PSD), diante da polêmica envolvendo o leilão para compra de 263 mil toneladas de arroz pelo Governo Federal.   Valdir Barranco (PT), Júlio Campos (União Brasil) e o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União Brasil) ressaltaram a importância de ter um representante de Mato Grosso à frente do ministério, que é considerado um dos mais importantes do país  e afirmaram não acreditar na sua “queda”.

“Estamos torcendo para que não [caia] porque é importante para o Estado ter o ministro lá. Embora é importante também esclarecer porque com certeza as coisas não andaram muito corretas ali, mas estamos torcendo para manter o ministro. É importante ter alguém que possa dialogar com todos os produtores aqui de Mato Grosso, alguém acessível para todos, então é importante para nós mantermos o ministro Fávaro lá”, declarou Botelho à imprensa,  nesta quarta-feira (19).

O nome de Fávaro tem estado em evidência desde a semana passada, quando o Governo Federal decidiu anular a compra do arroz após uma série de inconsistências envolvendo as empresas vencedoras do leilão.

O leilão foi feito por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para adquirir o produto a fim de evitar uma possível escassez decorrente das enchentes no Rio Grande do Sul, mesmo o Governo tendo anunciado que teria arroz suficiente em estoque, a fim de garantir a regulação do mercado.

Na manhã desta quarta-feira (19), Fávaro prestou esclarecimentos na Comissão de Agricultura da Câmara sobre os apontamentos em relação a compra do arroz importado.

Júlio Campos alerta que existe uma pressão grande de outros partidos que têm interesse no cargo ocupado por Fávaro, mas acredita que o trabalho que o ministro vem desenvolvendo tem agradado o presidente da República  Lula (PT) e por isso não teria motivos para exonerá-lo do cargo.

“Sabemos que existe uma pressão muito grande por parte de alguns partidos políticos, em especial o PP do Arthur Lira, para substituir Carlos Fávaro por uma pessoa do seu grupo, da sua confiança, mas acho que o trabalho que o ministro vem desempenhando nesse um ano e meio de mandato junto com o Governo Lula,  ele ficou bastante conceituado pelo presidente da República e sua substituição, se ocorrer, será só no ano que vem”, argumentou Júlio.

Já o petista Valdir Barranco ressalta que a polêmica em torno do leilão em nada atinge o ministro e afirma que Lula confia no trabalho idôneo de Fávaro.

“Eu vi nada que desabone a conduta do ministro Carlos Fávaro. O Lula gosta muito do Fávaro, ele tem feito um excelente trabalho, tem sido muito elogiado, Mato Grosso ganha muito com o Fávaro lá e nós não podemos em hipótese alguma, inclusive temos que afastar qualquer relacionamento de distanciamento político porque nós não podemos perder o Ministério da Agricultura, é um dos ministérios mais importantes do nosso país para outro Estado e o Fávaro tem feito um trabalho sério, idôneo, competente, aberto novos mercados, licenciado plantas frigoríficas então eu não vejo nesse momento qualquer possibilidade que isso aconteça”, concluiu Barranco.


 

Enviar um comentário
Comentários
Mais notícias