Botelho rechaça proximidade política com Emanuel: Nunca pedi apoio dele
Fonte: Da Redação 05/02/2024 ás 19:58:57 581 visualizações

Temendo prejuízos ao ser associado à imagem do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que está desgastada, o presidente da Assembleia Legislativa (ALMT) e pré-candidato à Prefeitura de Cuiabá, Eduardo Botelho (União Brasil), tratou de rechaçar a existência de qualquer laço político com o emedebista nos últimos 10 anos. 

Na semana passada, Emanuel foi questionado sobre certo "distanciamento" de Botelho. Ele ironizou e disse que não estava sabendo. Nesta segunda-feira (5), foi a vez de Botelho ser indagado a respeito do assunto. Ao responder, o parlamentar resgatou as principais eleições do estado, esclarecendo que não pertence ao mesmo grupo ou projeto de Emanuel.

Eduardo Botelho e Emanuel Pinheiro

"Nunca distanciei e nem afastei. A minha relação política com Emanuel é bem clara: a última vez que estivemos juntos em um pleito foi na eleição de Mauro Mendes, em 2012. De lá para cá, em 2014, eu apoiei Pedro Taques, e ele, Lúdio. Em 2016, ele foi candidato e eu apoiei Wilson Santos no 1º e 2 turno", iniciou.

“Não tem nada para afastar ou diminuir. Ele [Emanuel] para lá, eu para cá e vida que segue”Eduardo Botelho

"Em 2018, eu apoiei Mauro Mendes, e ele, Wellignton Fagundes. Em 2020, ele foi candidato à reeleição, eu apoiei Roberto França e não apoiei no 2º turno nenhum candidato, porque os dois não tinham condições de me representar, então, não apoiei nenhum. Em 2022, apoiei Mauro Mendes e ele, Márcia Pinheiro", acrescentou.

Emanuel sofre resistência em diversos setores da Capital e dentro de seu próprio partido. Visando obter sucesso nas eleições deste ano, o deputado federal Abilio Brunini (PL), que sonha em comandar o Palácio Alencastro, tenta colar o "selo Emanuel" em Botelho, apontando-o como sendo a continuidade de uma gestão desastrosa.

No entanto, Botelho têm rejeitado a pecha e frisado que sequer buscou alinhamento com o emedebista para "herdar" a sucessão da prefeitura: "Em 2024, eu nunca pedi apoio e nem ele me ofereceu. Essa é a nossa relação. Não tem nada para afastar ou diminuir. Ele para lá, eu para cá e vida que segue".

Enviar um comentário
Comentários
Mais notícias