CIDADES ▸ LUTO

Viúva de empresário diz que soube da morte pelas redes sociais

A empresária Camila Volpato, de 31 anos, viúva do também empresário Alan Xavier, de 33, que morreu em acidente na Estrada do Moinho, em Cuiabá, na noite dessa terça-feira (4),disse que está desolada e com morte do marido, a qual soube pelas redes sociais. Há seis dias, ele e os amigos caíram em uma pegadinha e foram com roupas iguais para a festa de réveillon. O vídeo da surpresa fez sucesso nas redes sociais.

Camila disse sente muita dor pela perda e conta que tinha deixado a profissão de dentista para ser empresária junto com o marido em um empresa de engenharia.

"Não existe sentimento além de dor. Estou tentando juntar os cacos que sobraram de mim para continuar o nosso sonho, tocando a nossa empresa", disse.
Ela contou que recebeu a notícia de que o marido havia se envolvido em um acidente pelas redes sociais e então um amigo deles mandou uma mensagem dizendo que precisava falar com ela urgente, porque Alan havia sofrido um acidente.

"Eu liguei e ele disse que Alan estava caído no chão na frente dele e que ele reconheceu a moto", lembra.

Uma semana depois, Camila afirmou que tem buscado forças, principalmente a equipe de funcionários. Segundo ela, todos na empresa são tratados como membros da família e eles estão a ajudando neste momento cuidando dos detalhes da empresa.

Ela está acompanhando as investigações sobre o caso e espera que a polícia consiga localizar o motorista da caminhonete envolvido no acidente.

O acidente

Alan pilotava uma moto quando foi atingido por uma caminhonete. Ele morreu antes do socorro chegar. O motorista do veículo fugiu do local após a batida e ainda não foi localizado.

De acordo com testemunhas, um terceiro carro também foi atingido, mas não houve registro de feridos.

A Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran) investiga o caso.

'Pegadinha'

Há seis dias, ele e os amigos caíram em uma pegadinha que fez sucesso nas redes sociais. O vídeo da brincadeira tramada pelas esposas mostra ele e outros maridos chegando com roupas iguais a uma festa de réveillon em Sorriso, no norte de Mato Grosso.

Os homens não sabiam que iriam usar roupas iguais e a reação de cada um que chegava ao local chamava a atenção, pela surpresa.

Segundo a empresária Bruna Previatti, de 30 anos, que organizou a brincadeira, Alan estava feliz pela repercussão da trolagem.

Comentários