POLÍTICA ▸ OUÇA O ÁUDIO

Vereadores que queriam CPI, ignoraram nepotismo em 2017; Veja o Áudio

Na semana passada, os vereadores Ademir Zulli (PTB) e Neya (PMDB) tentaram emplacar uma CPI na Camara Municipal de Poconé, A CPI visava investigar a pratica de nepotismo na Prefeitura de Poconé,  Após não conseguir assinaturas suficientes, a matéria não conseguiu tramitar de acordo com o § 3º art. 58 da Constituição Federal.

Em 2017, os mesmos vereadores apoiadores da CPI subiram a tribuna da camara municipal e detonaram um vereador na época que protocolou um requerimento para solicitar informações da Prefeitura de Poconé sobre a suposta pratica de Nepotismo na Prefeitura.

Durante a fala, o vereador Ademir Zulli chamou o requerimento do vereador de matéria politiqueira e que jamais iria permitir enquanto vereador que fossem utilizadas artmanhas no poder legislativo para atrapalhar a administração municipal.

Ademir Zulli ainda afirmou que caso alguma irregularidade, o Ministério Publico com certeza realizaria o trabalho de fiscalizador, O vereador ainda disse que o Ministério Público cuida mais de Camara de Vereadores e de politicos do qualquer outras coisas. O vereador conclamou aos colegas para que reprovassem o requerimento.

Ainda em 2017, a Vereadora Neya também usou a tribuna da camara para criticar o requerimento para solicitar informações de pratica de nepotismo na Prefeitura de Poconé, Segundo ela, a Lei do Nepotismo ha excessões, ela disse que as vedações de nepotismo não se aplicam a designações, nomeações ou contratos.

Decisão STF – Sumula Vinculante 13

Ao longo dos últimos 11 anos, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) têm entendido que a nomeação de parentes para cargos de natureza política não se enquadra como nepotismo. A decisão segue o entendimento de que a Súmula Vinculante 13 do STF, que veda o nepotismo, não se aplica aos casos de nomeação para cargos de natureza política.

Ouça o Áudio dos Vereadores:

 

 

Comentários