Tatá Amaral leva ex-prefeitos para lona

Em Poconé, o prefeito Tatá Amaral (foto), mesmo sob porrete durante todo o mandato, conseguiu a reeleição e levou para morrer abraçados nas urnas alguns ex-prefeitos que se juntaram em outros grupos para contrapô-lo. 

Tatá garantiu mais quatro anos de gestão com 6.772 votos (60,34% dos válidos). Seu caminho ficou mais livre com a eliminação, na reta final, da candidatura do ex-prefeito Clovis Martins, considerado ficha suja. O ex-prefeito Euclides Santos achou que teria autonomia no PSDB, mas foi tirado de cena. O partido lançou, então, Marcondes Barros, marido da ex-prefeita Meire Adauto, como vice de Clovis, mas a chapa foi barrada. 

Tico de Arlindo, outro ex-prefeito, apostou na candidatura de Camila Silva, que ficou em terceiro lugar, obtendo metade dos votos de Tatá.

Comentários