POLÍCIA ▸ HOMICIDIO

Sargento da Policia Militar se entrega, acaba liberado e PM deverá investigará o crime

O sargento da Polícia Militar suspeito de matar a tiros o empresário Pedro Luiz Pegorini se apresentou no início da tarde desta quarta-feira (26) na delegacia da Polícia Judiciária Civil de Tapurah (430 km de Cuiabá). Após prestar depoimento, ele foi liberado, já que não se encontrava em situação de flagrante. O crime foi cometido nessa terça-feira em uma chácara na zona rural da cidade.

De acordo com o 13º Batalhão de Policia Militar de Lucas do Rio Verde (333 km de Cuiabá), a quem a unidade da PM de Tapurah é vinculada administrativa e operacionalmente, o policial responderá por homicídio na justiça comum e, paralelamente, outro procedimento na esfera militar, já que agiu em um momento de folga.

 

O empresário morto era dono de uma funerária em Lucas do Rio Verde. De acordo com as informações, o crime ocorreu por volta das 17h.

O policial e a vítima estavam em uma festa quando em determinado momento começaram a discutir. O suspeito, então, teria sacado uma arma de fogo e disparado várias vezes contra Pedro Pegorini.

Um funcionário chamou a polícia, que foi ao local e encontrou pelo chão várias garrafas de bebidas alcóolicas. O corpo da vítima estava dentro de um quarto com a porta trancada, e quando o serviço de atendimento médico chegou ao local, foi constatado o óbito.

Conforme nota divulgada pela PM, o 13º Batalhão de Polícia Militar e o Pelotão de Tapurah adotaram medidas legais relacionadas ao crime, como preservação do local, apoio às unidades das polícias Técnica e Civil, e também fizeram diligências com objetivo de prender o sargento.

Segundo a PM, o 14º Comando Regional com sede em Nova Mutum e a Corregedoria Geral da PM foram informados a respeito do envolvimento do sargento no homicídio. A corporação também informou que está reunindo a documentação que vai embasar a instauração de procedimento investigatório pela Corregedoria da PMMT.      

Veja, na íntegra, a nota da Polícia Militar

NOTA - PMMT

O comando do 13º Batalhão da Polícia Militar de Lucas do Rio Verde, ao qual a unidade de Tapurah está vinculada administrativa e operacionalmente, informou ao 14º Comando Regional da PM, com sede em Nova Mutum, e a Corregedoria Geral a da PM, em Cuiabá, o envolvimento do militar (sargento) no homicídio.

O 13º BPM também, juntamente com o Pelotão de Tapurah, adotou as medidas legais relacionadas ao crime, como preservação do local, apoio às unidades das polícias Técnica e Civil, diligências com objetivo de prender o sargento e agora está reunindo a documentação que vai embasar a instauração de procedimento investigatório pela Corregedoria da PMMT.      

Informa ainda, que como o policial suspeito agiu em momento de folga responderá por homicídio na justiça comum e, paralelamente, outro procedimento na esfera militar.

No início da tarde de hoje (26), o policial se apresentou na delegacia e está à disposição da Justiça.

Comentários