CIDADES ▸ HISTÓRIA

Reunião marca reordenamento e ações para preservação do centro histórico de Poconé

A Prefeitura Municipal de Poconé foi convidada pela Secretaria de Cultura do Estado para debater a “Conservação de imóveis tombados como patrimônio histórico e cultural, situados no conjunto arquitetônico - Centro histórico de Poconé-MT”.

O Centro histórico de Poconé foi tombado por iniciativa do Governo do Estado através da Resolução de Tombamento: Portaria n° 028/2007, de 18/7/2007. Desde 2007 a arquitetura do centro de Poconé é preservada por legislação estadual e o município de Poconé foi convidado a atualizar a legislação municipal que trata sobre o assunto.

A reunião ocorrida em 15 de fevereiro de 2020, na sede da Secretaria de Estado e Cultura, Esporte e Lazer –MT, reunindo representantes da secretaria e representantes do município de Poconé, foi muito produtiva. Estiveram presentes: Prefeito de Poconé Tatá Amaral, Secretária Municipal de Cultura Mariana Petronília, Diretora de Cultura Laura Cristina, Secretário Adjunto de Cultura do Estado José Paulo da Mota Traven, Superintendente de Patrimônio Histórico e Cultural Robinson de Carvalho Araújo e o presidente da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, Walney Rosa.

Foi decidido que o governo do estado irá encaminhar para a prefeitura de Poconé todo o processo que levou ao Tombamento do Centro histórico em 2007. A prefeitura ira oferecer profissional para realizar o levantamento topográfico seguido de demarcação do perímetro do tombamento do centro histórico, e por conseqüente o registro em cartório.

Com a Criação do Sistema Municipal de Cultura, em suas audiências públicas, trouxe a necessidade de revisão da Lei Municipal nº 1.279/2002, ao qual até então nunca foi regulamentada, tão pouco seu conselho de tombamento criado, por nenhuma gestão anterior. Assim sendo sua atualização já passou pelas entidades de classe e serão realizadas as devidas atualizações.

Foi solicitado pelo Prefeito Tatá Amaral um manifesto e conseqüente apoio do Governo do Estado sobre a preservação do espaço público denominado Tanque da Rua, uma barragem histórica no Centro de Poconé, construída em 1942, batizada de Açude “Dr João Ponce”, desde a inauguração até os dias de hoje nunca houve reformas, passando 79 anos.

“Estamos aqui para unir forças em defesa da história e cultura de Poconé”, destacou Mariana Petronília.

Por sua vez o prefeito Tatá Amaral destacou “É uma exigência do Governo do Estado e do Ministério Público a publicidade da legislação sobre o Tombamento do Centro Histórico de Poconé, e a Prefeitura de Poconé está aqui para ser parceira nas tomadas de decisões e no que for possível em oferecermos bons resultados a sociedade poconeana”, pontuou.

Já o Secretário Adjunto de Cultura do Estado José Paulo da Mota Traven, destacou a importância das prefeituras em contribuir com a preservação dos patrimônios tombados pelo estado, bem como a participação da sociedade, “Os poconeanos fazem parte da história do estado, nada mais correto de que contar com a participação de todos para preservar o centro histórico, algo que já é lei desde 2007”, finalizou.

A Prefeitura Municipal de Poconé foi convidada pela Secretaria de Cultura do Estado para debater a “Conservação de imóveis tombados como patrimônio histórico e cultural, situados no conjunto arquitetônico - Centro histórico de Poconé-MT”.

O Centro histórico de Poconé foi tombado por iniciativa do Governo do Estado através da Resolução de Tombamento: Portaria n° 028/2007, de 18/7/2007. Desde 2007 a arquitetura do centro de Poconé é preservada por legislação estadual e o município de Poconé foi convidado a atualizar a legislação municipal que trata sobre o assunto.

A reunião ocorrida em 15 de fevereiro de 2020, na sede da Secretaria de Estado e Cultura, Esporte e Lazer –MT, reunindo representantes da secretaria e representantes do município de Poconé, foi muito produtiva. Estiveram presentes: Prefeito de Poconé Tatá Amaral, Secretária Municipal de Cultura Mariana Petronília, Diretora de Cultura Laura Cristina, Secretário Adjunto de Cultura do Estado José Paulo da Mota Traven, Superintendente de Patrimônio Histórico e Cultural Robinson de Carvalho Araújo e o presidente da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, Walney Rosa.

Foi decidido que o governo do estado irá encaminhar para a prefeitura de Poconé todo o processo que levou ao Tombamento do Centro histórico em 2007. A prefeitura ira oferecer profissional para realizar o levantamento topográfico seguido de demarcação do perímetro do tombamento do centro histórico, e por conseqüente o registro em cartório.

Com a Criação do Sistema Municipal de Cultura, em suas audiências públicas, trouxe a necessidade de revisão da Lei Municipal nº 1.279/2002, ao qual até então nunca foi regulamentada, tão pouco seu conselho de tombamento criado, por nenhuma gestão anterior. Assim sendo sua atualização já passou pelas entidades de classe e serão realizadas as devidas atualizações.

Foi solicitado pelo Prefeito Tatá Amaral um manifesto e conseqüente apoio do Governo do Estado sobre a preservação do espaço público denominado Tanque da Rua, uma barragem histórica no Centro de Poconé, construída em 1942, batizada de Açude “Dr João Ponce”, desde a inauguração até os dias de hoje nunca houve reformas, passando 79 anos.

“Estamos aqui para unir forças em defesa da história e cultura de Poconé”, destacou Mariana Petronília.

Por sua vez o prefeito Tatá Amaral destacou “É uma exigência do Governo do Estado e do Ministério Público a publicidade da legislação sobre o Tombamento do Centro Histórico de Poconé, e a Prefeitura de Poconé está aqui para ser parceira nas tomadas de decisões e no que for possível em oferecermos bons resultados a sociedade poconeana”, pontuou.

Já o Secretário Adjunto de Cultura do Estado José Paulo da Mota Traven, destacou a importância das prefeituras em contribuir com a preservação dos patrimônios tombados pelo estado, bem como a participação da sociedade, “Os poconeanos fazem parte da história do estado, nada mais correto de que contar com a participação de todos para preservar o centro histórico, algo que já é lei desde 2007”, finalizou.

Comentários