NACIONAL ▸ ESTUDO

Rendimento de pretos e pardos é 23,3% menor que salário de brancos

O rendimento médio total dos trabalhadores com 14 anos ou mais, em ocupações formais e informais, em Mato Grosso, foi de R$ 2.242, em 2018. No entanto, brancos receberam, em média, R$ 2.667, enquanto pretos ou pardos tinham salário médio de R$ 2.045, segundo uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ainda segundo o levantamento, em trabalhos formais, o salário do branco era de R$ 3.006, enquanto que o do preto ou pardo era de R$ 2.383. Nas ocupações informais o rendimento médio real do branco era de R$ 2.090, enquanto que os pretos ou pardos recebiam R$ 1.540.


Os dados apontam que a desigualdade racional persiste no mercado de trabalho, em todo o estado. De acordo com a socióloga Maria Rosa Anacleto, essa discrepância decorre de um preconceito histórico, considerando os anos de escravidão no país.

"A tentativa de reparação desta mazela com a implantação do sistema de cotas ainda não será suficiente para que haja realmente aplicabilidade do princípio da isonomia no tocante às questões raciais", comentou ela.

Segundo ela, há discriminação tanto na questão do gênero quanto na questão racial e tanto um quanto outro são resultantes de um processo histórico.

"Infelizmente a questão é história e ainda se arrastará por muitos anos, em que pesem tantas políticas de inclusão social", destacou ela.

Desocupação
Com relação à taxa de desocupação, a pesquisa revelou que, 77% das pessoas de 14 anos ou mais, foram considerada desocupadas em 2018. Entre os pretos ou pardos esse índice sobe para 8,4%. Entre os brancos a taxa é de 5,8%.

Comentários