POLÍTICA ▸ CPI PALETÓ

Relator quer aguardar desembaraço jurídico antes de retomar a investigação contra Prefeito em MT

Novo relator da CPI contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), o vereador Toninho de Souza (PSD) quer aguardar o fim do julgamento dos recursos da Câmara no Tribunal de Justiça para retomar os trabalhos da comissão. Os integrantes da CPI do Paletó devem se reunir na tarde de hoje (7) com a Procuradoria-Geral da Câmara para discutir o assunto.

Toninho foi indicado à CPI na última semana, ao lado do membro Sargento Joelson (PSC), depois de determinação do juiz Wladys Roberto Freire do Amaral, da 4ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, para constituição da comissão com os membros que assinaram o pedido original de investigação.

“A minha dúvida é, começa com essa insegurança, sob risco de parar uma semana depois por decisão judicial, ou esperamos encerrar esse embaraço jurídico? Ainda existem recursos no Tribunal de Justiça, e a Câmara deve entrar com mais um recurso agora. Eu acredito que precisamos esperar o desembaraço, mas essa é uma opinião pessoal minha, temos que chegar a um entendimento enquanto comissão”, disse.

Caso a opção seja por retomar os trabalhos, o relator avaliou que cerca de 60 dias devem ser suficientes para concluir a apuração. A ideia é utilizar os trabalhos realizados antes da suspensão de sua tramitação, em março de 2018. Até ali, os vereadores já haviam ouvido, por exemplo, o ex-governador Silval Barbosa e seu ex-chefe de gabinete Silvio Cesar Correa Araújo.

Em delação premiada, Silval e Silvio alegam que Emanuel recebeu propina à época em que era deputado. Emanuel nega e diz que os valores serviriam para pagar uma dívida por pesquisa eleitoral feita por seu irmão, Marco Polo Pinheiro.

Toninho lembrou que a CPI já havia solicitado o compartilhamento das delações ao Supremo Tribunal Federal (STF) e afirmou que a nova formação da comissão deve insistir no recebimento dos documentos.

Comentários