MUNDO ▸ PROTESTOS

Quem é Dilan Cruz, jovem morto em manifestação que virou símbolo de protestos antigoverno na Colômbia

Às 16 horas do dia 23 de novembro, forças de segurança começaram a dispersar protestos contra o governo em Bogotá, capital da Colômbia.

Os protestos contra corrupção e medidas de austeridade propostas pelo governo tiveram início na quinta-feira (21), quando mais de 250 mil pessoas tomaram as ruas e iniciaram uma greve nacional.

Em meio ao caos, Dilan Cruz, um jovem manifestante de 18 anos, pegou nas mãos uma bomba de gás lacrimogêneo e jogou a lata de volta àqueles que a haviam arremessado — policiais da equipe de contenção de protestos (Esmad, na sigla em espanhol).

Dilan, então, começa a correr. Quatro segundos depois, um barulho de tiro ecoa e Dilan cai no chão, inconsciente, imóvel. Vários vídeos nas redes sociais mostram dezenas de pessoas ao redor dele, em meio a gritos de "atiraram nele" e "mataram". Até que paramédicos aparecem e tentam ressuscitar o rapaz.

Ele morreu na segunda (25) em decorrência dos ferimentos. Antes, passou dois dias na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital de Bogotá, com trauma intracerebral, e teve duas paradas cardíacas.

"Lamentamos anunciar que, apesar dos cuidados na nossa UTI nesses dias, Dilan Cruz acaba de morrer. Nossas condolências vão para a família e as pessoas próximas a ele", disse o hospital, em nota.

Comentários