POLÍTICA ▸ DECLARAÇÃO

Presidente da AL vê caso isolado em prisão de ex-adjunto em MT: governo sério e honesto

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), comentou a prisão do ex-secretário adjunto da Casa Civil, Wanderson de Jesus Nogueira. Ele foi flagrado na última quinta-feira (24) pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) com R$ 20 mil em espécie que seria de uma suposta propina.

Em conversa com jornalistas nesta segunda-feira (28), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, o presidente da ALMT elogiou o governador Mauro Mendes (DEM), dizendo que seu Governo é “totalmente honesto e correto”. Eduardo Botelho, porém, admitiu a possibilidade da ocorrência de “pessoas corruptas”.

“O governo é feito de pessoas. Embora o Governo Mauro Mendes seja um governo totalmente honesto e correto, no meio pode ocorrer pessoas [corruptas]. Agora também não sabemos, vamos aguardar o andamento [das investigações] para ver o que realmente acontece. Não vamos julgar nem condenar ninguém antes de realmente nós sabermos o que aconteceu”, ponderou ele.

De acordo com Botelho, o governador Mauro Mendes não chegou a comentar a prisão do ex-secretário adjunto da Casa Civil, mas revelou que o Chefe do Poder Executivo de Mato Grosso “sempre diz o seguinte: isso é caso de polícia. É a polícia que vai resolver”.

Eduardo Botelho ainda “absolveu” o Chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, superior imediato do ex-ordenador de despesas do órgão preso na quinta-feira. “Não. Ele não tem envolvimento nenhum com isso. Não tem nada que possa prejudicá-lo”.

EMANUEL PINHEIRO

Sem citar o nome do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), o presidente da ALMT mandou um recado ao Chefe do Poder Executivo da Capital, que acusa o governador Mauro Mendes de “interferir” nos trabalhos e investigações da Polícia Judiciária Civil (PJC) e do Ministério Público do Estado (MPMT).

“Uma coisa é bom deixar claro. Quando alguém quer dizer que o governador Mauro Mendes tá conduzindo a polícia mostra que realmente não é isso. Ele não tem envolvimento nenhum, nunca mandou polícia investigar nem prender ninguém. Prende porque é preciso. Investiga porque é preciso”, declarou Botelho.

No início do mês de setembro de 2020, o governador Mauro Mendes “cobrou” mais celeridade da PJC e do MPMT sobre supostos casos de corrupção envolvendo Emanuel Pinheiro.

Comentários