POLÍTICA ▸ VOLTA

Prefeito Emanuel Pinheiro exalta lealdade de Stopa durante crise institucional em Cuiabá

Após ter o retorno garantido à Prefeitura de Cuiabá pelo Tribunal de Justiça, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) divulgou um vídeo em seu perfil nas redes sociais para declarar que estava feliz e exaltou a lealdade do vice-prefeito José Roberto Stopa (PV), que foi prefeito titular nos últimos 38 dias. 

"Vocês não imaginam a minha alegria, minha emoção e felicidade de poder estar sendo reconduzido ao cargo que Deus me honrou e o povo cuiabano elegeu. Eu queria, nesse momento de muita emoção, estar com todo mundo ao mesmo tempo [...], queria estar falando com cada um de vocês, mas agora é um momento de prudência", disse Emanuel.

Em seguida, o prefeito Emanuel agradeceu ao vice-prefeito, avisou que na segunda-feira (29) já estará de volta ao Palácio Alencastro e até mesmo disposto a falar com a imprensa. "Agradecer ao meu parceiro, amigo e vice-prefeito de Cuiabá, que honrou o nosso compromisso com o povo cuiabano nesse período de crise institucional. Quero anunciar que na segunda, vou dar uma coletiva de imprensa e poderei abraçar meus amigos jornalista e falar do jeito que eu gosto, olho no olho", falou.

Durante o período em que ocupou a prefeitura interinamente, Stopa se reuniu com o governador Muro Mendes (DEM) e algum de seus secretários. TAmbém esteve em atos oficiais do Governo do Estado, como o lançamento do Parque Novo Mato Grosso.

Inicialmente afastado pela Turma de Câmaras Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça e pelo juiz Bruno D' Oliveira Marques, Emanuel Pinheiro obteve a primeira vitória no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em liminar concedida pelo ministro Humberto Martins, em sede de suspensão de segurança, foi suspenso afastamento de 90 dias autorizado pelo juiz de primeiro grau. Posteriormente, o desembargador Luiz Ferreira da Silva suspendeu o afastamento na esfera criminal por entender que houve a perda do objeto diante da demissão de funcionários com contratos temporários na Secretaria de Saúde. 

Ambos os afastamentos de Emanuel foram decorrentes da Operação Capistrum do Ministério Público Estadual que investiga a suspeita de ilegalidades em contratações temporárias na saúde pública e bem como relativas ao pagamento do prêmio-saúde. 

Comentários