POLÍTICA ▸ CADASTRO NA SAÚDE

Por incompetência, Governo de Mato Grosso perde mais de R$ 4 mi para Samu

Em meio ao quadro de calamidade pública financeira pintado pelo governador Mauro Mendes e as idas a Brasília em busca de novos recursos, eis que a equipe do próprio chefe do Executivo, por incompetência de gestão na saúde, deixa perder mais de R$ 4 milhões.

Em portaria, o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta determina a suspensão de repasses financeiros que seriam para custeio mensal das unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Para Mato Grosso, estavam previstos 15 repasses, superando a R$ 4 milhões. Destes, R$ 3,5 milhões viriam para Cuiabá, R$ 1 milhão para Várzea Grande e R$ 204,7 mil para Chapada dos Guimarães, a mesma quantia para Poconé e também Tangará da Serra.

Na prática, a pasta da Saúde do Estado, sob Gilberto Figueiredo, deixa de receber os R$ 4 milhões para atender esses municípios na manutenção do Samu simplesmente por não alimentar o sistema, desde o ano passado, deixando de informar sobre a necessidade de tais recursos.

 E o Ministério avisa que o restabelecimento do repasse está condicionado à regularização do registro da produção do SIA/SUS das unidades do Samu. Ou seja, se não tomar providências, o governo será desabilitado.

Talvez agora o secretário Gilberto se atente para o caso. Precisa levar a sério o que tem afirmado o próprio governador: “a incompetência gera mais prejuízo para o erário público do que a corrupção”.

Comentários