POLÍCIA ▸ INVESTIGAÇÃO

Polícia encontra vídeos de tortura sofrida por menina de dois anos em Poconé

A Polícia Civil encontrou vídeos no celular dos pais adotivos da pequena Maria Vitória Lopes dos Santos, de 2 anos, que demonstram a tortura sofrida pela criança, que era agredida com corda de curral, era proibida de comer e estuprada por Francisco Lopes da Silva. Ele e sua esposa, Aneuza Pinto Ponoceno, seguem presos.

A menina morreu na segunda-feira (08), após ficar quatro dias internada no Pronto-Socorro de Várzea Grande, após ser vítima de maus-tratos pelos pais adotivos, em Poconé (104 km de Cuiabá).

De acordo com o depoimento de Aneuza, seu marido deixava a criança sem comer e a estuprava pelo menos duas vezes por semana, onde a menina chorava de dor e gritava: “Não, não, dói, dói”.

Além disso, a menor ainda era obrigada a ‘desfilar’ nua e rebolar para “satisfazer a lascívia repugnante de Francisco”. Maria Vitória também era agredida com corda de curral.

Aneuza ainda admitiu que há dois meses teria observado que o ânus da criança estava bastante machucado e alargado. Além disso, após os estupros, era encontrado sangue na frauda da menina.

Segundo a investigação conduzida pelo delegado Maurício Maciel, a guarda provisória da criança estava com o tio paterno e sua esposa há cerca de cinco meses. O casal morava em um sítio com a menina, na região rural de Poconé.

Os dois vão responder por homicídio qualificado maus tratos, estupro de vulnerável e tortura. Ambos continuam presos.

Comentários