VARIEDADES ▸ DESFILE

Patrícia Souza se diz honrada por ser a 1ª musa trans da Mangueira

Sabe a história da moça que sai de casa para ir a um baile e é descoberta pelo príncipe? O enredo de “Cinderela” tem semelhanças com o conto de fadas particular de Patrícia Souza, 25 anos, primeira musa transexual da Estação Primeira de Mangueira. O herói da história é o carnavalesco Leandro Vieira.

Patrícia é carioca do bairro de São Cristóvão, mas vive em Londres há 2 anos, Lá, mora com uma amiga e trabalha como cabeleireira. Quando está de férias, corre para o Brasil para matar as saudades da família, dos amigos e do carnaval carioca.

O convite do carnavalesco ganha contornos oníricos por causa do viés tradicionalíssimo da escola, que não costuma aceitar nudez em seus desfiles e foi uma das últimas a permitir que mulheres tocasse na bateria.

“Sempre desfilei. Já saí na Tuiuti, na Portela, mas minha paixão é a Mangueira, onde já desfilei umas oito vezes”, diz.

A apresentação oficial na agremiação foi no último sábado (25), no ensaio de quadra.

Comentários