ESPORTES ▸ JUSTIÇA

Operário de Várzea Grande também tenta contratação do goleiro Bruno

O tradicional Operário Várzea-grandense - 13 vezes campeão mato-grossense - abriu negociação com o goleiro Bruno, de 35 anos. O jogador cumpre pena em regime semiaberto em Varginha-MG, pelo homicídio de Eliza Samudio. A diretoria do Tricolor teme, porém, a repercussão negativa da contratação do goleiro.

A proximidade do diretor de futebol do Operário, Roberto Moraes, com o goleiro, o aproximou de Mato Grosso. Roberto, que tem ligação com o Boa Esporte, foi o primeiro diretor a contratar o goleiro após a sua saída da prisão, em 2017.

Segundo apuração do GloboEsporte.com, a ligação ao Bruno foi feita nesta quinta-feira e já houve uma proposta um pouco abaixo da oferecida pelo Fluminense de Feira. O Operário acredita que o jogador pode ajudar o clube no Campeonato Mato-grossense, Copa do Brasil - enfrenta o Santa Cruz na primeira fase - e Série D do Campeonato Brasileiro.

O Operário fez a sua preparação em Muzambinho-MG e se reapresentou nesta sexta-feira em Várzea Grande. O elenco conta com dois jovens goleiros: Igor Rayan, ex-Horizonte-CE, de 24 anos, e João Pantaneiro, ex-Cuiabá, de 20 anos.

Situação do Bruno

Bruno foi preso em setembro de 2010 e condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio, pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Ele também havia sido condenado por ocultação de cadáver, mas esta pena foi extinta, porque a Justiça entendeu que o crime prescreveu sem ser julgado em segunda instância. As penas válidas somadas, então, são de 20 anos e 9 meses.

Atualmente o goleiro cumpre pena em regime semiaberto domiciliar em Varginha, onde está desde abril de 2017. Ele conseguiu a progressão de pena em 19 de julho após uma decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais do município.

Comentários