POLÍTICA ▸ ELEIÇÃO

Nova chapa para na ALMT deve ter Russi, Botelho e Janaína; Barranco fica fora

Com a reviravolta provocada pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), os principais nomes da base do governo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) precisaram articular, em pouco tempo, uma nova composição para a Mesa Diretora da Casa de Leis. Desde a tarde desta segunda-feira (22), já se especulava que o atual 1º Secretário, Max Russi (PSB), encabeçasse uma das chapas à nova eleição. 

Depois de uma reunião, coforme apurações do portal Olhar Direto, o nome de Russi teria se consolidado à frente da chapa. A deputada Janaína Riva (MDB), por outro lado, teria desistido de lançar chapa própria e irá compor como 2ª secretária na chapa do psbista. 

A chapa teria ainda o líder do governo Dilmar Dal Bosco (DEM) como vice e Eduardo Botelho (DEM) como primeiro secretário. O "troca-troca" de cargos entre Russi e Botelho também já era especulado. 

Além deles, Wilson Santos (PSDB) permaneceria como 2º vice-presidente e Delegado Claudinei (PSL) como 3º secretário. O 4º secretário, entretanto, ainda seria uma icognita, mas um dos nomes possíveis seria o do deputado Dr. Gimenez (PV). 

Valdir Barranco (PT), que é atualmente o 2º secretário da Casa, não foi cotado para nenhum cargo. Isso porque ele está internado em uma UTI de São Paulo tratando um quadro de Covid-19 e não poderia assinar o registro da chapa. 

Decisão do STF

O ministro Alexandre de Moraes decidiu, nesta segunda (22), acatar pedido do partido Rede Sustentabilidade para suspender a eficácia da eleição que tornou Botelho presidente da ALMT pela terceira vez consecutiva. 

O pedido foi baseado em um dispositivo constitucional que, até então, não possuia repetição obrigatória na legislação estadual. Com a nova decisão, o ministro Alexandre de Moraes abriu precedente contrário. 

Na decisão, Moraes também determinou a realização de novas eleições que foram marcadas para esta terça-feira (23) às 19 horas. 

Comentários