POLÍCIA ▸ AGRESSOR

Muito medo, diz vítima após soltura de agente penitenciário acusado de torturar mulheres e criança em Cuiabá

Uma das vítimas do agente penitenciário Edson Batista Alves, de 35 anos, relatou que está com medo, porque ele foi colocado em liberdade. Ele é acusado de torturar e manter em cárcere privado a mulher e o filho dela, de 6 anos, e deixou a prisão nesta segunda-feira (10). Pelo menos outras seis ex-mulheres e ex-namoradas do réu teriam sido vítimas de agressão e tortura.

A Justiça determinou a soltura de Edson porque o acusado estava preso havia 81 dias - prazo limite da prisão cautelar. O réu deve cumprir medidas restritivas e está sendo monitorado com tornozeleira eletrônica.

A vítima disse que não está conseguindo dormir tranquilamente e manter a calma depois que soube que o ex-companheiro deixou a prisão. Segundo a mulher, que não teve a identidade revelada por segurança, o agente a ameaçou antes de ser preso.

“Estou apavorada, não dormi nada à noite e não estou conseguindo ficar em casa com muito medo. Estou com muito medo. Eu estava desesperada quase entrando em pânico, tentando amenizar um pouco meu medo, porque eu sei que não estou protegida 100%”, afirmou.

Edson Batista foi preso na madrugada do dia 21 de novembro do ano passado, após a então namorada fugir com o filho e procurar a polícia.

Segundo a polícia, a mulher e a criança eram torturadas e mantidas em cárcere privado por duas semanas. Edson chegou a quebrar o braço do menino e o obrigou a gravar um vídeo dizendo que tinha sofrido a fratura em um acidente.

As vítimas estavam com vários hematomas pelo corpo. Elas relataram que, além de socos e chutes, eram espancadas com fio de carregador, cabo de vassoura e até queimadas com água quente.

A mãe da criança namorou Edson por três meses e saiu de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, para a capital para visitá-lo há duas semanas.

Ela disse à polícia que desde que eles chegaram na cidade para morar com o suspeito foi mantida trancada em casa e ele passou a ser agressivo.

Comentários