CIDADES ▸ PROBLEMAS

Moradores de Chapada dos Guimarães estão sem abastecimento regular de água há 23 dias

Diversos moradores de Chapada dos Guimarães (a 65 km de Cuiabá) estão sem água há 23 dias. O problema está acontecendo desde o dia 14 de outubro, quando duas bombas do centro de captação Zelito queimaram. Até o momento, a empresa Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) liberou 722 caminhões-pipa para suprir as necessidades da população e, por conta do tipo de sua concessão, não pode fazer a manutenção e reparação da bomba.

Ao Olhar Direto, o atual diretor da SAAE, Jodenilson da Silva Souza, explicou que o desabastecimento não é geral, mas em alguns pontos da cidade. O diretor não conseguiu estimar quantas pessoas estão sendo atingidas direta ou indiretamente, mas ele afirma que até a última segunda-feira (4), foram realizados 722 atendimentos de caminhões-pipa pela cidade. Extraoficialmente, o número já deve estar próximo de 800 atendimentos, somado aos realizados até esta quarta-feira (6).

A abastecimento desregular se dá pelo fato de duas bombas no centro de captação Zelito terem queimado, além da falta de água em outros dois centros de captação, mesmo com as chuvas recentes.

Como o contrato atual com a SAAE permite somente a operação e não a manutenção, não é possível fazer o reparo dos danos. De acordo com o diretor da concessionária, a SAAE irá acionar a Secretaria de Estado de Infraestrutura de Mato Grosso (Sinfra-MT) para que seja revertido o problema.

Por meio de nota, a Sinfra-MT aponta que “há fortes indícios” de que as bombas teriam queimado por conta de uma falha de fábrica, já que “todos os procedimentos de instalação foram seguidos na íntegra”. Desta forma, a secretaria irá acionar a empresa Hidra, responsável pelos equipamentos, para que informe problemas verificados no conjunto motobombas do Sistema de Abastecimento de Água de Chapada e apresente soluções.

Somente a Zelito captava, sozinha, o equivalente a 300 m³ de água por hora. De acordo com o diretor da concessionária, as outras duas, Quimera e Monjolo, cerca de 400 m³, mas atualmente só conseguem captar, juntas, o equivalente a 140 m³.

Comentários