POLÍTICA ▸ VISITA

Mauro faz apelo para Bolsonaro incluir MT na Reforma da Previdência

Em evento de assinatura de convênio entre os Governos Federal e Estaduais e plantio de mudas em propriedades às margens do Rio Araguaia, nesta quarta-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, o governador Mauro Mendes (DEM) destacou o potencial econômico de Mato Grosso, a capacidade de produzir cada vez mais de forma sustentável sem destruir e defendeu a Reforma da Previdência, em andamento no Congresso Nacional. A solenidade foi realizada nos municípios de Aragarças (GO) e Barra do Garças (500 km de Cuiabá) com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e alguns de seus ministros. 

O democrata lembrou que, ainda na campanha, ele e Ronaldo Caiado, governador de Goiás, prometeram que se fossem eleitos fariam um grande programa de revitalização e reparação do Rio Araguaia que corta os dois Estados. Com a assinatura, segundo ele, estão colocando em prática o início do projeto para cumprir a promessa e beneficiar não só a população de Mato Grosso e Goiás, mas todos os brasileiros. 

Mendes observou que o projeto lançado é um dos maiores programas brasileiros de recuperação e preservação ambiental. Afirmou que ambos os Estados estarão unidos nos próximos anos para recuperar e preservar o Rio Araguaia e o Meio Ambiente como um todo. “O Rio Araguaia une esses dois Estados, está no coração do Brasil e aqui vamos dar esse exemplo que é possível produzir, é possível preservar e desenvolver riquezas e fazer inclusão social”, discursou Mauro Mendes. 

Ele afirmou que sente o orgulho de governar Mato Grosso, Estado que tem colaborado substancialmente com a balança comercial brasileira nos últimos anos. Lembrou que o Estado é o maior produtor de soja, milho, algodão e maior rebanho. "E temos condições de continuar produzindo muito mais e fazemos tudo isso com apenas 36% do nosso território, 64% do território de Mato Grosso está exatamente como Pedro Alvares Cabral encontrou há mais de 500 anos atrás. Isso é um exemplo que temos que dar ao mundo, é um exemplo que nós brasileiros somos capazes de produzir e conservar. E neste projeto que lançamos hoje aqui é importante o apoio do Governo Federal, observou. 

Mauro Mendes afirmou que os brasileiros querem preservar e não precisam que nenhuma Ong internacional, na maioria das vezes financiada pelos produtores americanos, venham ao Brasil dizer o que é preciso fazer quando eles não fazem nos seus países. “Nós queremos fazer, nós vamos preservar, vamos construir aqui uma nação que será capaz de promover seu crescimento, mas acima de tudo por nós mesmos brasileiros, por nossos filhos, vamos preservar as nossas riquezas naturais”, disse ele direcionar sua fala ao presidente Jair Bolsonaro para que ele eu seus ministros apoiem o projeto que por enquanto foi lançado de forma simbólica. 

“Estamos aqui simbolicamente lançando esse trabalho que com apoio dos seus ministros lá em Brasília sob o seu comando, vai capitanear por todo o Brasil. Tenho certeza que esse trabalho vai orgulhar a todos nós num futuro não tão distante porque estamos cansados de ouvir que o Brasil é o país do futuro. O Brasil tem que ser o país do presente, nós queremos que os resultados cheguem na ponta, na casa, na rua, em todo o País”, disse. 

REFORMA DA PREVIDÊNCIA 

Mauro Mendes também elogiou a atuação dos ministros Ônyx Loronzoni (chefe da Casa Civil) e Paulo Guedes (economia) nas articulações pela aprovação da Reforma da Previdência. “Nós precisamos encontrar um novo caminho para que o Brasil não fique atolado no seu crescimento e na sua geração de emprego", disse o democrata ao presidente. 

Também pediu o apoio da bancada federal de Mato Grosso para ajudar aprovar a reforma para beneficiar os Estados e Municípios. “Vamos dizer aos nossos deputados e senadores aqui presentes não deixem os Estados e Municípios fora dessa reforma”, conclamou Mendes. 

Conforme o democrata, a reforma é importante para o Brasil e para cada estado e município brasileiro. “Senão daqui a pouco anos vamos estar trabalhando única e exclusivamente para pagar os nossos aposentados. É um direito, é legítimo, mas tem tantos outros brasileiros que estão tendo seu direito social e estamos pegando praticamente todo o dinheiro para pagar os aposentados”, criticou Mendes. 

Em seguida, ele reclamou que atualmente “não sobra dinheiro para cuidar da saúde, das estradas, das escolas e de tantas outras obrigações que é de responsabilidade do poder público”. Por fim, ele parabenizou o presidente, aos deputados e senadores. “Vamos discutir, mas vamos fazer de vez uma reforma que ajude o Brasil, os Estados e os Municípios”, enfatizou Mauro Mendes.

Comentários