ESPORTES ▸ FUTEBOL

Luís Roberto explica o cringe no futebol, último Vapo de Gérson e Pedro e Cuca na bronca

"Ficar reclamando toda hora do juiz é um negócio cringe". Luís Roberto deu o aviso na transmissão da vitória do Cruzeiro sobre o Vasco. Além da chance de assistir a um narrador que é um barato, a Geração Z teve outras boas razões para acompanhar a rodada de meio de semana do Brasileiro. Fizemos um resumo para facilitar a vida de todos. Confira:

Motivação à moda (não tão) antiga
E o São Paulo ficou só num frustrante empate com o Cuiabá no Morumbi. O que o time paulista talvez não saiba é que o time visitante teve um estímulo extra - e à moda (não tão) antiga - para voltar para casa com um ponto na bagagem.

Só que, no lugar de manchetes provocativas de jornais, o técnico do Cuiabá colocou uma projeção com... o palpitão do ge para a rodada - que apontava de forma unânime para vitória do São Paulo.

Esse Luís Roberto é um barato
Na transmissão de Cruzeiro 2 x 1 Vasco, o narrador usou a expressão cringe (se ainda não a ouviu, uma rápida pesquisa na internet te ajudará) para cativar a geração Z. O contexto era a reclamação da arbitragem por parte da moçada que estava em campo, algo bem fora de moda.

"Meu Deus, vou falar uma coisa com vocês: a moçada da geração Z diria o seguinte: ficar reclamando toda hora do juiz é um negócio cringe. Tá fora de moda, é cringe demais. Vamos jogar, rapaziada"

E essa chuteira, Jô?
O atacante do Corinthians, desta vez, não virou notícia pelo material de trabalho - ou pela cor dele. Mas as chuteiras lhe serviram bem. Com um toque, marcou e, sem que precisasse finalizar, viu Maidana se antecipar para marcar contra. Um toque, duas participações, dois gols e a vitória alvinegra sobre o Sport.

Comentários