MUNDO ▸ GUERRA

Justiça europeia decide suspender canal russo RT France, Rússia promete retaliar

Moscou prometeu nesta quarta-feira (27) dificultar o "trabalho da mídia ocidental" em seu território, em retaliação à confirmação pela Justiça europeia da suspensão do canal de notícias russo RT France, decidida pela União Europeia após a invasão da Ucrânia.

"Vamos tomar medidas de pressão semelhantes visando a mídia ocidental que trabalha em nosso país", declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov a repórteres após a publicação da decisão judicial da União Europeia, julgando legal a proibição de difusão da RT France.

“Também não vamos deixá-los trabalhar em nosso país”, acrescentou Peskov. Esses meios de comunicação não devem esperar "nenhuma flexibilidade" das autoridades russas, alertou, denunciando um "ataque à liberdade de expressão e à liberdade de imprensa nos países europeus, inclusive na França".

Desde o início da guerra, em 24 de fevereiro, Moscou já bloqueou diversos sites de mídias ocidentais (BBC, Die Welt, RFI, Deutsche Welle...) e redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram. Em maio, a Rússia fechou o escritório da rádio e televisão canadense CBC/Radio-Canadá depois que a RT foi proibida de transmitir no país.

Ao mesmo tempo, a mídia canadense suspendeu ou interrompeu suas operações na Rússia por medo de represálias. Há leis no país que punem, com penas de prisão, a divulgação de informações supostamente falsas sobre o Exército russo.

Sputnik
O tribunal da União Europeia alega que a "proibição temporária" da radiodifusão "não questiona" o conceito de liberdade de expressão, ao contrário do que afirma a mídia estatal russa. A RT France anunciou que vai entrar com um recurso contra a decisão.

"A confirmação pelo tribunal desta proibição geral e do prazo indeterminado mostram, infelizmente, que o poder judicial da União Europeia não pode ou não quer se opor ao poder político", reagiu Xenia Fedorova, presidente da RT France, em comunicado.

Acusados ​​de serem instrumentos de "desinformação" pelo Kremlin, os meios de comunicação Sputnik e RT (incluindo sua versão em francês RT France) foram proibidos de transmitir na União Europeia em 2 de março, na televisão e na internet, após um acordo entre os 27 Estados-membros, logo após o início da guerra.

Comentários