POLÍTICA ▸ DELAÇÃO

Juíza da 7ª Vara Criminal surpreende com Delator Malouf: o senhor é um HD cheio de informações

A juíza Ana Cristina Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, se surpreendeu com a quantidade de informações que o empresário Alan Malouf sabe sobre o esquema de esquema de fraudes em licitações em obras de escolas, no âmbito da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Malouf fez parte do grupo de empresários beneficiados com as fraudes e detalhou como era feita a divisão dos repasses a servidores e políticos, entre eles o ex-governador Pedro Taques.

Alan Malouf iniciou relatando sobre a doação de R$ 10 milhões que ele e outros quatro empresários deram à campanha de Taques. Ele disse que deste valor, cerca de R$ 3 milhões foram seus. O empresário afirmou que entr no esquema da Seduc para reaver o dinheiro investido em Taques.

“Eu sou o responsável, neste grupo dos empresários do empréstimo dos R$ 10 milhões, e como eu era a pessoa mais próxima do Pedro os empresários sempre me cobravam, ainda bem que estava acordado junto com ele, na minha casa, que este dinheiro seria devolvido”, disse o empresário.
 
Deste valor “investido”, Malouf afirma que conseguiu reaver cerca de R$ 260 mil, com os pagamentos de propina feitos pelas construtoras beneficiadas com as fraudes. Segundo ele a motivação dos empresários para a doação dos R$ 10 milhões foi porque “o grupo visualizava o governo passado, e queria algo diferente, porque todos são empresários, de certa forma queria algo melhor”.
 
Ele também relatou à juíza como era feita a divisão da propina paga. Ele disse que o líder de um dos “núcleos” do esquema era Giovane Guizardi. Era Guizardi quem fazia os repasses a Malouf, e o empresário disse que todos teriam concordado com a maneira como o dinheiro era dividido.

Comentários