POLÍTICA ▸ DEMISSÃO

Governo exonera delegada por ajudar ambulante a maquiar flagrante em cidade de Mato Grosso

Adelegada Anaíde Barros de Souza perdeu oficialmente o cargo público que ocupava a partir desta sexta (13). O ato de exoneração foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) com assinaturas do governador Mauro Mendes (DEM), do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e do secretário de Estado de Planejamento, Basílio Bezerra.

Anaíde foi condenada por improbidade administrativa e perdeu recursos em todas as instâncias superiores. Ela estava lotada na Delegacia Especializada do Adolescente de Cuiabá e deixa de exercer funções na Polícia Judiciária Civil a partir de hoje. Ela recebia um salário de R$ 33,5 mil brutos.

A condenação ocorreu em fevereiro de 2012. Houve apelação ao Tribunal de Justiça, mas o recurso foi negado pela 1ª Câmara de Direito Público e Coletivo e o processo reenviado à 1ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Rondonópolis em abril deste ano. A delegada também teve recurso negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com trânsito em julgado em fevereiro.

O Ministério Público Estadual (MPE) afirma que, em 7 de dezembro de 2005, foram apreendidos CDs, DVDs e bolsas falsificadas no Shopping Popular de Rondonópolis, conhecido como “Camelódromo”. Os produtos pertenciam a Nivaldo Duque dos Santos, que procurou a delegada durante o plantão na noite daquele dia. Os dois conversaram por “algumas horas, fato presenciado por várias pessoas”.

A delegada teria orientado o camelô a comprar produtos idênticos aos apreendidos, mas da marca original. Anaíde teria, então, ido pessoalmente à Gerência de Criminalística de Rondonópolis e trocado o material apreendido pelo original comprado posteriormente.

Comentários