MUNDO ▸ ORDENS

Governo do Reino Unido manda Irlanda do Norte ampliar serviço de aborto

O governo do Reino Unido deu ordens para que as autoridades da Irlanda do Norte para que até o março de 2022 haja serviços de saúde que providenciam aborto no território.

A Irlanda do Norte fica na ilha da Irlanda, mas é parte do Reino Unido.

A população é dividida entre católicos (que geralmente são contrários ao Reino Unido) e protestantes (favoráveis ao Reino Unido, chamados de unionistas).

A Irlanda do Norte só permitia aborto em casos de risco de vida para a mãe. Era a única região do Reino Unido em que o serviço não era oferecido às mulheres que desejassem realiza-lo.

Em 2019, o Parlamento britânico resolver intervir e votou para legalizar o aborto na Irlanda do Norte.

O governo da Irlanda do Norte passou a permitir o procedimento para pacientes com gravidez de até 10 semanas, mas ainda não há leis locais que tornam o aborto acessível para mulheres que estão com gravidez mais avançada (até a 12ª semana ou, em alguns casos, sem limite de tempo).

Isso obriga algumas mulheres da Irlanda do Norte a viajar para outras partes do Reino Unido para realizar o procedimento.

“A falta de discussões sobre esse tema importante no Comitê Executivo (o governo da Irlanda do Norte) significa que eu não tenho escolha, a não ser dar a ordem”, disse o ministro do Reino Unido para a Irlanda do Norte, Brandon Lewis, em um comunicado.

Ele afirma que tem poder legal para determinar que a Irlanda do Norte amplie os serviços de aborto e uma obrigação de fazer isso.

Lewis ordenou que o departamento de saúde da Irlanda do Norte deve providenciar orçamento para que o serviço seja oferecido.

Comentários