POLÍTICA ▸ ACORDO

Governador mente mais uma vez e não paga salário de servidores de MT

O Sindicado dos trabalhadores no Ensino Público (Sintep-MT), divulgou uma nota na tarde desta terça-feira (20), questionando o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), a respeito do não pagamento dos salários dos professores grevistas. Conforme a negociação entre o Estado e a categoria, o valor do corte referente aos meses de maio e junho, deveria ter sido pago neste mês de agosto.

No documento de negociação, foi combinado que no dia 20 de agosto de 2019, seria pago o valor referente ao corte de pagamento de maio e junho e no dia 10 de setembro de 2019, o pagamento referente ao corte de julho e o salário de agosto.

Apesar disso, não foi o que aconteceu, no texto veiculado pelo Sindicato, consta que números significativos de professores não tiveram seus subsídios depositados, como havia prometido Mauro Mendes.

Confira a nota na íntegra:

"SOBRE O NÃO PAGAMENTO DOS SALÁRIOS DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO COMO PROMETIDO NO DOCUMENTO DO GOVERNADOR MAURO MENDES

O governo do Estado de Mato Grosso afirmou documentalmente a devolução dos salários dos trabalhadores da seguinte forma: Dia 20 de agosto de 2019 – corte de pagamento de salário de maio e junho. Dia 10 de setembro de 2019 – pagamento referente a corte de julho e salário de agosto. No entanto, números significativos de trabalhadores/as da Educação não tiveram os seus subsídios depositados como prometeu o governo.

Quanto a essa questão dos salários as informações que tem chegado na Sede Central do SINTEP-MT dão conta que não houve nenhum tipo de critério técnico quanto a não inclusão dos trabalhadores da Educação nesta folha complementar do dia 20. Há um número significativo de profissionais que não receberam, até mesmo aqueles que retornaram antes do encerramento da greve e já estavam trabalhando desde o início do mês de agosto.


 

Foi confirmada reunião para 21/08, na Casa Civil para tratar da questão dos/as profissionais que estão sem receber o salário e que não foram contemplados na folha complementar do dia 20.

O SINTEP-MT reafirmará a necessidade de resolução imediata dessa questão com os depósitos dos salários descontados e não depositados. Caso isso não ocorra ficará claro a retaliação do governo aos profissionais da Educação. O Sintep-MT solicita esclarecimentos dos critérios que foram adotados pela Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) quanto ao não pagamento, bem como, a imediata regularização dos mesmos. Além de cobrar quais serão os procedimentos adotados para efetuar o estorno imediato dos descontos salariais.

Caso a situação não seja resolvida, o Sintep-MT buscará outros meios legais para resguardar os direitos, bem como, a convocação de atos públicos na capital e interior para denunciar a situação do descumprimento do documento do próprio governo do estado.

Cuiabá, 20 de agosto de 2019.

Sintep/MT Livre, democrático e de luta"

Comentários