POLÍCIA ▸ GANÂNCIA

Fazendeiro confessa que matou vizinho por disputa de uso de cachoeira em Mato Grosso

A Polícia Civil prendeu na quarta-feira (24), um fazendeiro que é apontado como o assassino de Adeusmar Messias Freitas, de 54 anos, que foi morto a tiros, em novembro de 2020, quando saía da Cahoeira do Potreiro, na fazenda dele, em Dom Aquino (166 km de Cuiabá). O assassino, que não teve o nome divulgado à imprensa, tinha um mandado de prisão contra ele e foi preso em Jaciara (144 km de Cuiabá). As investigações apontaram que ele matou o fazendeiro vizinho porque ambos tinham uma disputa pela exploração turística da cachoeira.

O assassino, juntamente com seu advogado, se apresentou na Delegacia de Polícia e foi detido. Segundo a Polícia Civil, ele foi autuado por homicídio duplamente qualificado, já que matou Adeusmar por uma disputa em razão do turismo realizado na cachoeira do Potreiro, e pelo valor econômico que era gerado no local.

Adeusmar foi morto com cinco tiros, na noite de 1° de novembro de 2020, na Cachoeira do Potreiro, que era sua propriedade.

A vítima retornava do rio com sua esposa, sentido à sede de sua propriedade, quando foi baleado.

A esposa conta que os dois correram. Seu companheiro, que estava com uma lanterna na mão, foi seguido pelo assassino que deu mais tiros e fugiu.

Consta na ocorrência que a Polícia Militar (PM) foi acionada para um roubo à mão armada, e ao chegar ao local encontrou o corpo caído.

O local é bastante conhecido, pacotes eram fechados para passar o dia ou acampar na Cachoeira do Potreiro. O lugar está fechado desde a morte de Adeusmar.

Comentários