POLÍTICA ▸ VACINAÇÃO

Emanuel diz que Estado fez papelão ao anunciar vacinação sem ter doses e tentar o culpar

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) divulgou vídeo em suas redes sociais, nesta quinta-feira (08), no qual negou ter recusado entregar doses de vacina para a imunização de profissionais das forças de segurança.

Ao lado da coordenadora da vacinação em Cuiabá, Valéria Oliveira, e da gerente da Vigilância Epidemiológica de Cuiabá, Flávia Guimarães, ele disse que o Estado anunciou a campanha de vacinação sem ter liberado as doses necessárias e chamou a acusação de 'papelão', que segundo ele, podeter ocorrido para esconder a incopetência de gestão ou "para tentar apagar o brilho do aniversário de Cuiabá".

A vacinação dos profissionais de segurança deveria ter iniciado nesta quinta-feira no Senai, mas por falta de doses foi suspensa. 

A vacinação dos profissionais da segurança pública foi feita em negociação via Ministério de Saúde. Para antecipar a vacinação desse grupo veio quantidade específica de doses para atender essa demanda, pórem  depende do ato assinado das doses que serão aplicadas, explicaram as servidoras do município.
As doses, segundo Valéria Oliveira, só estariam disponíveis na sexta-feira (09), que é quando vai ocorrer a vacinação.

 

"Fizeram tudo isso e não tinham vacina para aplicar vacina. Várzea Grande também não  está vacinando as forças de segurança. Eles anunciam que estão, mas não está. O negócio é culpar Cuiabá", reclama Emanuel.

O prefeito pontua que não tem como o município usar as vacinas destinadas aos idosos e profisisonais da saúde e o Estado sabe disso.

 

Comentários