POLÍTICA ▸ MARIA DA PENHA

Denunciado por agressão pelo MP, Leonardo Campos volta a presidir a OAB

Depois de 30 dias licenciado, Leonardo Pio da Silva Campos voltou a presidir a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Mato Grosso, na quinta-feira (2). A licença, pedida pelo próprio “Leo Capataz”, como é conhecido, acabou na quarta-feira (1) e ele retomou às atividades na entidade autônoma. A informação foi confirmada pela assessoria do órgão. 

O pedido de licenciamento do advogado foi feito no dia 29 de maio, dois dias após ele ter sido acusado pela esposa, a também advogada Luciana Póvoas, de tê-la agredido com um empurrão. A agressão teria acontecido no apartamento onde o casal morava, no bairro Goiabeiras, em Cuiabá.

À época, Leonardo usou o Instagram para fazer o anúncio. Na oportunidade, o jurista afirmou que se afastou para cuidar de assuntos particulares.

“Informo que na última sexta-feira (29/05/2020) protocolei perante à diretoria da OAB-MT um pedido de licença da Presidência da instituição por 30 dias, para tratar de assuntos particulares. A OAB-MT, neste período, será Presidida pela Vice-Presidente Gisela Cardoso, com apoio dos demais diretores, com as orientações do Conselho Seccional”, disse ele á época.

Ainda na rede social, o advogado classificou o fato como uma “discussão de casal” e que solicitou à OAB para que o caso fosse investigado.

“Minhas amigas e meus amigos, como sabem, a última semana foi muito dura para mim e minha família. Uma discussão de casal acabou se tornando pública, com contornos e versões que precisam ser melhor apurados. Como sabem, tomei o cuidado de protocolar perante a OAB-MT um expediente para que a entidade analise o caso e decida como entender mais adequado”, se justificou.

Pela acusação de agressão Leonardo foi levado à Central de Flagrantes, mas foi solto poucas horas depois. Devido o auto de prisão em flagrante, o caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) e um inquérito policial (IP) foi aberto. 

Trinta dias depois, o IP foi finalizado pela Polícia Civil e remetido ao MPMT. Após receber o procedimento, a promotora Laís Glauce Antonio dos Santos da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Cuiabá ofereceu denúncia contra Leonardo por crime de vias de fato, com a agravante de violência contra a mulher.

“Ante o exposto, tenho por bem denunciar, como de fato DENUNCIO, LEONARDO PIO DA SILVA CAMPOS como incurso no artigo 21 do Decreto-Lei nº 3.688/41, c/c artigo 61, inciso II, alínea “f”, do Código Penal Brasileiro, com os efeitos da Lei 11.340/2006, razão pela qual requeiro que recebida e autuada esta, seja ele citado para apresentar resposta escrita, conforme artigo 396 do CPP, prosseguindo o feito em seus ulteriores atos, nos termos do artigo 400 do CPP, com oitiva das testemunhas abaixo arroladas e subsequente interrogatório, até sentença final condenatória”, diz trecho da denúncia.

Comentários