MUNDO ▸ RENUNCIA

Demissão de braço-direito do príncipe Charles por doações em troca de favores

Um ex-assistente pessoal do príncipe Charles renunciou ao cargo de diretor de uma fundação criada pelo filho mais velho da rainha Elizabeth II por causa da repercussão de um escândalo sobre seus laços com um empresário saudita.

Michael Fawcett, o ex-assistente do príncipe, é suspeito de ter usado sua influência para ajudar o empresário saudita Mahfuz Marei Mubarak Bin Mahfuz a obter uma condecoração, revelaram os jornais "Sunday Times" e "Mail on Sunday" no início de setembro.

Bin Mahfuz já doou dinheiro para instituições de caridade ligadas à monarquia britânica. O saudita foi nomeado comandante do Império Britânico pelo príncipe Charles em uma cerimônia privada no Palácio de Buckingham em novembro de 2016, de acordo com o "Sunday Times". O evento não foi publicado na lista oficial de compromissos reais.

Segundo o jornal, obter essa distinção era importante para apoiar a solicitação de cidadania britânica do saudita. Mahfuz nega qualquer responsabilidade sobre a condencoração.

O Sunday Times noticiou que Mahfuz teria doado grandes somas de dinheiro para projetos de restauração de interesse do príncipe de Gales.

Michael Fawcett se havia se afastado, temporariamente, de seu cargo de diretor-geral da Fundação do Príncipe (The Prince's Foundation), ocupado por ele desde 2018. Agora é sua saída definitiva.

Comentários