ESPORTES ▸ LIBERTADORES

Comissão disciplinar da Conmebol nega pedido do Atlético-MG para anular gol do Palmeiras

A Comissão Disciplinar da Conmebol negou o pedido do Atlético-MG para anular o gol do Palmeiras ou repetir o confronto válido pela partida de volta das semifinais da Libertadores, disputada no Mineirão. A decisão, assinada pelo presidente da Comissão Disciplinar, Eduardo Gross Brown, foi divulgada no site da entidade. O Galo tem 24 horas para recorrer à Comissão de Apelação da Conmebol.

O jogo terminou 1 a 1. O Palmeiras se classificou pelo critério do gol marcado fora de casa, uma vez que o duelo em São Paulo terminou 0 a 0. Os paulistas vão decidir a Libertadores com o Flamengo no dia 27 de novembro, no estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai.

A reclamação do Atlético era de que antes de o palmeirense Dudu estufar as redes do Mineirão, o atacante Deyverson, que estava no banco de reservas, invadiu o campo pela lateral. O fato gerou o protesto, uma vez que um jogador suplente pisar no campo de jogo é passivo de penalização do árbitro no sentido de anular a jogada.

Ao revisar o lance, o árbitro de vídeo (VAR) percebeu a invasão de Deyverson, mas sugeriu apenas cartão amarelo para o atacante. A Conmebol divulgou o áudio do VAR. Confira:

– Pode advertir o jogador que está aquecendo, que comemorou o gol – diz um dos auxiliares do arbitro Wilmar Roldan.

– Tudo bem. Número 9 de quem foi advertido? – questionou o árbitro do VAR, Andres Cunha.

– Do Palmeiras – respondeu o auxiliar no vídeo.

Na jogada do gol, os árbitros do VAR analisam outros dois momentos: a disputa entre Gabriel Veron e Nathan Silva, em que se considerou não ter acontecido falta, e um possível toque de mão de Dudu na conclusão, mas confirmaram o gol em sequência.

Comentários