POLÍTICA ▸ FICHA SUJA

Clóvis tenta descongelar votos no TSE; se perder está fora até 2028

O Segundo colocado nas eleições no município de Poconé, Clóvis Damião Martins protocolou recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na tentativa de descongelar os votos recebidos neste pleito eleitoral.

A tentativa do ex-prefeito, enquadrado no rol de fichas sujas é apenas para uma possível tentativa de candidatura em 2024. Caso o TSE não acate o recurso, Clóvis estará inelegível até 17/03/2028.

O ex-prefeito teve o registro de candidatura negada, tanto pelo juízo eleitoral, quanto ao Tribunal Regional Eleitoral de MT.

Durante o voto no TRE-MT, o juiz relator do processo disse que caracterizou a rejeição de contas do ex-prefeito no TCU como ato doloso e de improbidade administrativa, pois ensejou uma perda patrimonial, desvios e apropriação de recursos públicos federais.

Eleições em Poconé:

O atual prefeito de Poconé, Tatá Amaral, do DEM, foi reeleito para os próximos quatro anos. Com 100% das urnas apuradas, Tatá teve 41,15% dos votos. Foram 6.772 votos no total.

Clóvis Martins (PTB) que está com os votos congelados, ficou em segundo lugar com 31,80% (5.233 votos). Camila Silva (PP) ficou em terceiro, com 22,78% (3.748). E Chindão ficou em quarto, com 4,27% (703 votos).

Ex-Prefeito Euclides Santos apto em 2024:

Outro ex-prefeito com problemas na justiça é o ex-prefeito Euclides Santos, com contas rejeitadas no TCU, Euclides estará liberado em 20 de Janeiro de 2022, podendo participar das eleições em Poconé, no ano de 2024.

Comentários