MUNDO ▸ COVID-19

Casos de novo coronavírus no mundo passam de 8 milhões, diz universidade

O número de casos confirmados do novo coronavírus no mundo passou de 8 milhões nesta segunda-feira (15), segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins. De acordo com o instituto, mais de 435 mil pessoas morreram de Covid-19.

Somente os Estados Unidos registram mais de 2 milhões de casos — ou seja, mais de 25% dos diagnósticos confirmados do novo coronavírus. O Brasil está em segundo lugar em relação os números absolutos da pandemia, com quase 900 mil casos (leia mais sobre os números do Brasil no fim da reportagem).

Os primeiros casos do novo coronavírus foram relatados na China em dezembro de 2019. Levou mais de três meses para que o número de registros do vírus Sars-CoV-2 em seres humanos ultrapasse a marca de 1 milhão. De 7 milhões para 8 milhões, passou apenas uma semana.

Em entrevista coletiva nesta segunda, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a média de infecções confirmadas ficou em quase 124 mil casos diários nas duas primeiras semanas de junho.

Segundo Tedros, quase 75% dos casos recentes de Covid-19 vêm das Américas ou do Sul da Ásia. O diretor de emergências da OMS, Michael Ryan, voltou a manifestar preocupação com as regiões. Ele também foi questionado se o Brasil era o novo epicentro da pandemia.

"Eu acho que nós dissemos há algumas semanas que a América Central e do Sul, as Américas no geral, são com certeza o epicentro regional no mundo. Mas como vimos nos últimos dias e semanas, outras áreas do mundo começaram a ter grandes aumentos de casos", disse.
O diretor-geral também alertou os países a ficarem alertas sobre a possibilidade de ressurgimento do vírus mesmo em locais onde não têm surgido casos novos. Ele citou o exemplo da China, que registrou um novo surto na capital, Pequim.

"Na semana passada, a China relatou um novo aglomerado de casos em Pequim, depois de mais de 50 dias sem um caso na cidade. Mais de 100 casos já foram confirmados", afirmou Tedros. A origem do surto ainda está sendo investigada.

Comentários