ESPORTES ▸ FORMULA 1

Bullying na infância motivou postura irrepreensível na F1, conta Hamilton

Em disputa com Max Verstappen pelo título da Fórmula 1 em 2021, Lewis Hamilton protagonizou batalhas tensas com o rival ao longo da temporada, colidindo com o holandês nos GPs da Inglaterra e Itália, e evitando outras, como na Emilia-Romagna e Espanha, postura que o britânico revelou ter tirado das lições de seu pai ainda durante a infância, no kart.

- É assim que meu pai me criou. Ele me dizia para sempre responder na pista. Sofri bullying na infância, na escola e nas pistas, então queríamos vencê-los da maneira certa, não com uma colisão. Assim não dá pra negar que você é o melhor. Se você bater, podem dizer "ah, mas essa é uma tática daquele piloto". Quero ser o mais puro dos pilotos, pela velocidade, pelo trabalho árduo e pela determinação, assim não terá como negar tudo o que conquistei, no fim - conta Hamilton.

Por muitos anos, Hamilton foi o primeiro e único piloto negro a ter passado pela F1, o que já revelou em outras ocasiões ter sido motivo de ofensas de rivais durante sua juventude e até mesmo de professores e pais de seus colegas pilotos.

No entanto, não é só o seu histórico que influencia sua postura em pista. O heptacampeão revelou que pensar no trabalho de mecânicos e funcionários responsáveis por seu carro e pelo trabalho a cada corrida o levam a considerar mais cada decisão que toma em uma disputa roda a roda:

- Às vezes você perde pontos ao fazer isso, com certeza, mas não é apenas sobre mim. Tenho duas mil pessoas atrás de mim, trabalhando, e por meio dessa decisão egoísta que eu poderia tomar, posso custar todos os bônus de cada um da minha equipe no final do ano, todo o trabalho duro que eles têm que fazer. Estou ciente dessas coisas.

Comentários