NACIONAL ▸ PARALISAÇÃO

Áudios chamam Bolsonaro de frouxo por pedir fim de bloqueio de caminhoneiros

Caminhoneiros que trancam rodovias em apoio a Jair Bolsonaro se dividem diante do áudio do presidente pedindo para que voltem ao trabalho, divulgado nesta quarta (8). Parte não acredita e acha que a mensagem é falsa, outros avaliam como uma estratégia para que ele justifique o uso das Forças Armadas nas ruas e há quem defenda simplesmente que o governante está sendo "frouxo" após ter começado um "treta". 

Pelo menos é o que mostram áudios de grupos de caminhoneiros em aplicativos de mensagens aos quais a coluna teve acesso. Veículos estão bloqueando rodovias em 15 estados no rescaldo das manifestações golpistas de 7 de setembro puxadas pelo presidente. Com isso, cidades já registram desabastecimento e aumento no preço da gasolina.

"Sinceramente, se nosso presidente falou isso, se o Tarcísio [Feitosa, ministro da Infraestrutura] falou isso, estão sendo muito frouxos. Começa uma treta, não consegue manter? São frouxos! A gente está com eles, e agora começando uma treta que os caminhoneiros não vão parar tão cedo. Agora, já que falaram pra caralho, assume a porra da bucha!", afirma um dos áudios, representativo desse posicionamento.

"Tamos com eles, não largo mão, tamo junto... Só que começaram com uma classe que não vai parar tão cedo. Agora segura firme, porra!"

Pautas como a redução no preço do combustível e outros direitos da categoria estão listadas em reivindicações, mas, ao contrário do movimento de maio de 2018, a principal demanda agora é política. Os paralisados apoiam Bolsonaro e pedem o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional. São caminhoneiros autônomos, mas também empresas ligadas ao agronegócio.

A inflação da gasolina, do gás de cozinha, da energia elétrica e dos alimentos tem ajudado a correr ainda mais a imagem do governo federal. Bolsonaro teme por uma queda ainda maior em sua popularidade junto à base mais pobre da população, que sente mais os efeitos.

"Fala para os caminhoneiros aí que eles são nossos aliados, mas esses bloqueios aí atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Então, dá um toque nos caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade", afirmou Bolsonaro em um áudio enviado à categoria nesta quarta (8).

Ele ainda diz que é para os caminhoneiros deixaram que as discussões políticas sejam tratadas em Brasília. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Feitosa, gravou um vídeo para atestar que o áudio é realmente de Bolsonaro.

"O áudio mostra a preocupação do presidente com uma paralisação dos caminhoneiros. A paralisação ia agravar efeitos da economia, inflação, que ia impactar os mais pobres, os mais vulneráveis", disse.

O governo afirmou, na manhã desta quinta (9), que Bolsonaro se reunirá com representantes da categoria para tentar suspender as paralisações.

Comentários