POLÍCIA ▸ CRIMINALIDADE

Assassino é preso e confessa que matou professor no Mato Grosso após deboches

Um homem suspeito de ter matado o professor de educação física João Claúdio Lemos, de 36 anos, na noite de terça-feira (10) em Nova Ubiratã, a 506 km de Cuiabá, foi preso nessa quinta-feira (12) em Sorriso, a 420 km da capital.

Lemos morreu a após dar entrada na unidade de atendimento médico depois de ser atingido por dois tiros.

O crime aconteceu em frente a um bar localizado na Avenida Getúlio Vargas, no Centro de Nova Ubiratã.

O suspeito, Edson Padilha Godinho, de 57 anos, se apresentou na delegacia da Polícia Civil acompanhado de um advogado.

De acordo com o delegado André Ribeiro, a discussão ocorreu por um motivo fútil e discussões bobas entre eles.

“Eles trocavam ofensas e muitos deboches. O que sabemos de fato é que ele deixou o local, foi em casa onde pegou a arma, e voltou fazendo os disparos”, comentou.

Padilha foi ouvido e encaminhado ao Centro de Ressocialização de Sorriso (CRS).

Formaturas e aulas

Três formaturas escolares, programadas para quarta (11) e quinta-feira, foram adiadas em decorrência do assassinato do professor. As aulas da rede municipal de ensino também foram suspensas e serão retomadas na sexta-feira (13).

Segundo a prefeitura, as alterações de datas foram propostas pelos gestores escolares em solidariedade a família do professor.

A formatura de aproximadamente 180 alunos foi transferida para fevereiro, no início do ano letivo.

O corpo de João Claudio foi velado no Ginásio Poliesportivo Jonas Pinheiro, em Nova Ubiratã, e enterrado no município de Arenápolis.

Comentários