CIDADES ▸ FICHAS SUJAS

131 candidatos já foram barrados pela Justiça Eleitoral em Mato Grosso

Priminho Riva, que é irmão do ex-presidente da Assembleia José Riva, e outras 130 pessoas já tiveram registros de candidatura negados pela Justiça Eleitoral em Mato Grosso até esta terça (20). Priminho Riva foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que proíbe condenados por órgão colegiado de disputar cargo eletivo. Ele tenta a prefeitura de Juara pelo PL.

Entre os candidatos a prefeito barrados, quatro são desse mesmo partido. Além de Priminho, também tiveram o registro indeferido os candidatos Lincoln Saggin, em Torixoréu, Revelino Trevisan, em Porto dos Gaúchos, e Gilberto Mello, em Chapada dos Guimarães. Apenas o candidato “Pé no Chão”, do PCdoB, em Sorriso, que também teve o registro indeferido, é de outra sigla entre os pretensos prefeitos.

A maior parte dos barrados são candidatos a vereador, que foram considerados inaptos. Os números ainda podem variar, na medida que os pedidos de registro seguem sendo julgados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). Ao todo, 6,8 mil registros ainda aguardam julgamento. Mesmo os que tiveram o registro indeferido ainda podem recorrer e disputar a eleição sub judice.

Entre os julgados, considerados inaptos, estão três vereadores que tentam a reeleição. Professor João Neto (Pode), em Itiquira, e também Alencar das Bicicletas e Elias Pereira, ambos do PTB em Cáceres, foram barrados. Mato Grosso tem 12,7 mil registros de candidaturas em 2020, o que representa 22% a mais de registros que nas eleições municipais de 2016, quando 10,4 mil se inscreveram.

Comentários