MUNDO

ELEIÇÕES

14/12/2017 às 23:14:42 Enviar Imprimir
Vice-presidente dos EUA adia viagem ao Oriente Médio por votação no Senado
O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, decidiu nesta quinta-feira (14) adiar a viagem que faria ao Oriente Médio e à Alemanha neste fim de semana e permanecerá em Washington por mais uns dias, já que seu voto pode ser necessário para desempatar no Senado a votação para aprovar a reforma tributária impulsionada pelos republicanos.

Inicialmente, Pence tinha programado partir no sábado à noite para uma excursão por Egito, Israel e Alemanha, mas, segundo a informação oferecida pela Casa Branca, sua nova data de saída será na terça-feira.

Assim, Pence chegará ao Egito na quarta-feira para uma reunião com o presidente do país, Abdel Fatah al Sisi, e, nesse mesmo dia, se deslocará para Israel, onde visitará o Muro das Lamentações.

Já na quinta-feira, o vice-presidente se reunirá com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e fará um pronunciamento no Knesset (Parlamento de Israel).

Na sexta, Pence voltará a se reunir com Netanyahu e visitará o Museu do Holocausto em Jerusalém antes de partir para a Alemanha, onde passará pela base militar americana de Ramstein no sábado.

O vice-presidente adiou sua saída porque os republicanos têm uma pequena maioria no Senado e buscam a todo custo impulsionar seu plano tributário. Caso a iniciativa prospere, esta seria a única grande conquista legislativa do presidente Donald Trump desde sua chegada ao poder.

Na quarta-feira, o senador republicano John McCain, que está lutando contra um câncer no cérebro, foi hospitalizado pelos efeitos secundários de seu tratamento, o que joga contra as aspirações conservadoras e diminui sua margem de manobra.

"Ontem, a Casa Branca informou à Liderança do Senado que, devido à natureza histórica da votação sobre cortes de impostos para milhões de americanos, o vice-presidente ficaria (no país) para presidir a votação", disse na quinta a porta-voz de Pence, Alyssa Farah, em comunicado.

"O vice-presidente viajará depois a Egito e Israel, onde reafirmará o compromisso dos Estados Unidos com seus aliados no Oriente Médio e para trabalhar na cooperação para derrotar o radicalismo", acrescentou Alyssa.


A porta-voz assinalou que Pence "espera ter conversas construtivas com o primeiro-ministro israelense Netanyahu e com o presidente Sisi para reafirmar o compromisso do presidente Trump" com seus aliados na região.

No sábado, o presidente palestino Mahmoud Abbas anunciou que não se reuniria com Pence em sua visita ao Oriente Médio, em resposta à decisão de Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

A decisão de Trump, que inclui a mudança da embaixada dos EUA para essa cidade, também provocou uma rejeição generalizada entre os cristãos da região.

Assim, o papa da igreja copta do Egito, que dirige a maior denominação cristã no Oriente Médio, também cancelou a reunião que estava prevista com Pence no Cairo.

Apesar de a Casa Branca ter originalmente afirmado que parte da viagem tinha como objetivo mostrar o apoio dos EUA aos cristãos do Oriente Médio, Pence já não tem nenhum evento programado com tal efeito, já que também cancelou sua ida à cidade de Belém, na Cisjordânia, onde visitaria a Igreja da Natividade.


COMENTÁRIOS