DENUNCIA

CASSAÇÃO

23/01/2017 às 17:01:57 Enviar Imprimir
Justiça Eleitoral dá sete dias para vereadores e suplentes em Poconé apresentarem defesa

A Justiça Eleitoral de Poconé deu um prazo de sete dias para que as coligações: Poconé que Queremos I e Juntos pela Poconé que Queremos II apresentem defesa ao pedido de cassação de todos os registros de candidaturas. A decisão foi emitida nesta segunda-feira (23) pela juíza Katia Rodrigues Oliveira.

O Ministério Público Eleitoral, através do promotor Danilo Cardoso, da cidade de Poconé deu entrada na justiça eleitoral em uma Impugnação de Mandato Eletivo em que pede a á cassação do diploma de quatro vereadores eleitos e vários suplentes, por haver indícios de fraude e abuso de poder quanto aos registros dos candidatos a vereadores da coligação.

Se as duas ações foram deferidas pela Justiça Eleitoral, o Legislativo poconeano terá uma mudança radical com novo cálculo de coeficiente partidário. Da Coligação pela Poconé que Queremos I, foram acionados 8 pessoas, dentre elas os parlamentares eleitos Ademir Zulli (PTB) e Professor Ball (DEM). 

Já na Coligação Juntos pela Pocone que Queremos II, 5 candidatos foram denunciados, sendo os eleitos: Zé Correa (PR), Camila de Jean (PSC) e outros suplentes.

Conforme o promotor de Justiça, nas ações, foi requerida a cassação do diploma dos eleitos e dos suplentes, além do reconhecimento da prática do abuso de poder na composição da lista de candidatos às eleições proporcionais.

Para o Ministério Públicoalguns desses nomes citados no processo foram candidatas apenas para preencher o número de vagas reservadas para cada sexo e não possuíam nenhuma intenção de se elegerem, o que caracteriza fraude.

Os vereadores e suplentes foram todos diplomados em sessão solene realizada na no dia 5 de Dezembro. Entretanto, se a ação for julgada favorável todos terão seus diplomas cassados.

  • GALERIA DE FOTOS


COMENTÁRIOS