ECONOMIA

LEILÃO

15/12/2017 às 00:11:12 Enviar Imprimir
Fazendas de massa falida da Boi Gordo são arrematadas por R$ 67 milhões

Doze fazendas na região de Comodoro, no oeste de Mato Grosso, que pertenceram à empresa Boi Gordo foram leiloadas nesta quinta-feira (14) e arrematadas por R$ 67 milhões pelo consórcio Zuquetti & Marzola Participações e Representações Ltda, um deságio de 62% e, relação à avaliação inicial das propriedades, em R$ 177 milhões.

O leilão foi realizado em São Paulo pela Lut Leilões por decisão do juiz de Direito da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), Marcelo Sacramone.

Entre as áreas que compõem o bloco de 53 mil hectares — de alto potencial produtivo — estão terras com cabeças de gado e cultivo de soja e milho, que podem ser pagas com a renda das propriedades, em cinco parcelas semestrais. Segundo o edital, o arrematante deve pagar, em até 48 horas, 20% do valor do lance mais os 4,5% de comissão.

Uma outra fazenda da empresa já havia sido leiloada em novembro por R$ 43 milhões.

O caso 'Boi Gordo'

Criada em 1988, a empresa Fazendas Reunidas Boi Gordo iniciou em 1996 processo de abertura de investimentos em animais. Era um sonho para investidores que receberiam, após 18 meses, o lucro da venda do boi engordado com promessas de 42% de rendimento via certificados de investimentos.

Cerca de 32 mil pessoas que investiram neste modelo identificado como “pirâmide financeira”, que pagava contratos vencidos com recursos de novos investidores. Em 2001, a empresa pediu concordata, uma vez que o dinheiro investido passou a ser direcionado para outros negócios do empresário Paulo Roberto de Andrade, fundador da empresa. Com uma despesa a pagar maior que a receita, a Boi Gordo faliu em 2004.



COMENTÁRIOS