MUNDO

SANÇÃO

30/12/2016 às 00:06:15 Enviar Imprimir
EUA anunciam sanções à Rússia e expulsam agentes de inteligência por hacker
Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (29) uma série de sanções à Rússia por "sabotagem a processos e instituições eleitorais". Entre as medidas, está a expulsão de 35 agentes de inteligência russos em Washington e San Francisco e o fechamento de dois complexos dos serviços de inteligência da Rússia em Nova York e Maryland.

O presidente Barack Obama divulgou uma declaração sobre as medidas. Ele lembrou que sua administração alertou em outubro que a Rússia levou adiante ações que pretendiam interferir no processo eleitoral americano de 2016. Segundo ele, "o roubo de dados e a exposição de informações durante a eleição só podem ter sido coordenados pelos níveis mais elevados do governo russo".

Ele disse, ainda, que os diplomatas americanos viveram "um nível inaceitável de assédio" em Moscou por parte dos serviços de segurança russos e pela polícia ao longo do último ano (leia a íntegra da declaração de Obama, em inglês).

Um porta-voz do presidente russo Vladimir Putin disse que Moscou lamenta as sanções e vai considerar medidas de retaliação.

Além de fechar os dois complexos de inteligência e expulsar os 35 agentes, os EUA puniram nove entidades e indivíduos, incluindo o GRU e o FSB, dois serviços de inteligência russos, quatro funcionários do GRU e três empresas que forneciam suporte para a GRU. A Secretaria do Tesouro também identificou dois russos que usaram meios cibernéticos para se apropriar de fundos e informações pessoais.

O governo americano declarou que não vai parar por aí e vai continuar a tomar uma série de medidas contra a Rússia, algumas das quais não serão tornadas públicas.

Agências de segurança dos EUA afirmaram que as atividades hackers por parte das agências de inteligência russas são “parte de uma campanha de uma década de operações cibernéticas direcionadas ao governo americano e seus cidadãos”.

Em um comunicado, as agências encorajaram as companhias de seguranças e o setor privado americano a procurar em seu tráfego de rede por sinais de atividades maliciosas.


COMENTÁRIOS