CIDADES

PROTESTANTES

12/10/2017 às 01:44:02 Enviar Imprimir
Estudantes de Poconé protestam contra PEC do Teto de Gastos na Assembléia
Com caras pintadas, segurando bandeiras e faixas, estudantes de escolas estaduais participam nesta quarta-feira (11) do acampamento na Assembleia Legislativa contra a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 10/2017, também conhecida como PEC do Congelamento de Gastos. Para os alunos e alunas a participação no movimento é fundamental na luta por uma Educação Pública gratuita e de qualidade.
 
Caio Vitor Soares, aluno do 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Dr. Estevão Alves de Correia, na Capital, organizou um grupo de estudantes para participar do movimento. “A Educação está sofrendo vários ataques e a indignação tomou conta de nós. Não podemos ficar calados quando acontecem coisas como essa PEC. Já fazemos o debate sobre a reforma do Ensino Médio na nossa escola e queremos falar também sobre a PEC”.
 
Morador de Poconé e aluno do 3º ano do Ensino Médio na Escola Estadual Eucáris Nunes Cunha de Morais, Bruno Fernando Martins da Silva, sempre participa dos movimentos da Educação. “Eu gosto de participar. Sempre venho, porque acho importante a gente lutar por uma Educação e um Estado melhor”.
 
Os manifestantes - estudantes, servidores públicos e movimentos sociais – farão um ato público com passeata a partir das 16 horas na Assembleia Legislativa, além de participar da sessão vespertina. Durante o ato serão avaliados os encaminhamentos para a próxima semana.
 
PEC:
Apresentada pelo governo do Estado como a única solução para o “equilíbrio” das contas públicas, a PEC 10/2017 propõe o congelamento dos investimentos públicos pelos próximos 10 anos. O governo do estado precisa que a PEC seja aprovada até 30 de novembro para aderir ao programa de recuperação do Governo Federal, para adiar o pagamento da dívida pública. A proposta está na pauta do Legislativo, porém, ontem (10), o deputado Valdir Barranco pediu vistas sobre um veto relativo à LDO e tem um prazo de 5 dias corridos para dar uma resposta aos parlamentares, o que adiará a votação para a próxima semana.


COMENTÁRIOS