MUNDO

GUERRA

13/09/2017 às 06:57:00 Enviar Imprimir
Coreia do Norte promete acelerar programa de armas nucleares após sanções
A Coreia do Norte prometeu acelerar seus programas militares proibidos em resposta às "maléficas" sanções impostas pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) após o sexto teste nuclear do país.

"A adoção de uma ilegal e maléfica nova 'resolução de sanções' impulsionadas pelos Estados Unidos constitui uma oportunidade para que a Coreia do Norte comprove que o caminho que escolheu é absolutamente correto", declarou a chancelaria norte-coreana em um comunicado publicado pela agência oficial KCNA.

A Coreia do Norte "redobrará esforços para incrementar seu poderio e proteger a soberania nacional e o direito a existir", acrescentou a chancelaria.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou na segunda-feira (11), por unanimidade, novas sanções que proíbem as exportações têxteis da Coreia do Norte e restringem seu abastecimento em petróleo e gás.

A chancelaria norte-coreana rejeitou a resolução, classificando-a de "odiosa provocação destinada a privar a Coreia do Norte de seu legítimo direito à autodefesa e a sufocar seu Estado e seu povo através de um bloqueio econômico de grande envergadura".

A ONU aprovou a resolução impulsionada pelos Estados Unidos e apoiada por China e Rússia um mês depois de adotar outra, que vetava as exportações norte-coreanas de carvão, ferro e mariscos, depois do lançamento - em meados de agosto - de um míssil de médio alcance que sobrevoou o Japão.

Alguns especialistas expressaram ceticismo a respeito do alcance do texto e destacaram que as sanções anteriores não impediram o grande avanço dos programas nuclear e balístico de Pyongyang.


COMENTÁRIOS