BOCA NO TROMBONE ▸ SEM NOÇÃO

Sindicato ameaça processar sites em MT

A presidente do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso (Sinpol-MT), Edleusa Mesquita, emitiu nota de repúdio contra os meios de comunicação, na manhã desta quarta-feira (17), por divulgar os nomes dos policiais civis presos acusados de torturar suspeitos de cometerem crimes durante cumprimentos de mandados de busca e apreensão em Colniza (1.065 km ao Norte de Cuiabá).

As prisões do delegado Edson Pick e dos investigadores Woshington Kester Vieira e Ricardo Sanches foi destaque na imprensa estadual e nacional, na terça-feira (16).

“A diretoria do sindicato (...) repudia a ação desrespeitosa da mídia estadual e nacional, por ter divulgado imagens e nomes dos investigadores de Polícia presos ontem (16) em Colniza, sob a acusação de crime de tortura”, diz trecho do documento.

O sindicato afirma no comunicado que não “admite a exposição de policiais civis nos meios de comunicação, exigindo que, da mesma forma como a mídia preserva a imagem do cidadão comum, com base no respeito aos direitos humanos e ao sigilo da investigação, dê igual tratamento ao policial que responde a uma acusação desse tipo. O sindicato entrará com o processo cabível para responsabilizar a todos que expuseram os investigadores em questão”. A sindicalista esquece que, tanto ela quanto seus colegas, são SERVIDORES PÚBLICOS e, portanto, não há sigilo em nada que diz respeito às suas funções. 

Veja nota na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO

A diretoria do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso – Sinpol-MT repudia a ação desrespeitosa da mídia estadual e nacional, por ter divulgado imagens e nomes dos investigadores de Polícia presos ontem (16) em Colniza, sob a acusação de crime de tortura. O Sinpol-MT destaca que o processo ainda não transitou em julgado, que baseia-se apenas na acusação de uma suposta vítima, e que os acusados não exerceram o seu direito de defesa. E deixa claro que não admite a exposição de policiais civis nos meios de comunicação, exigindo que, da mesma forma como a mídia preserva a imagem do cidadão comum, com base no respeito aos direitos humanos e ao sigilo da investigação, dê igual tratamento ao policial que responde a uma acusação desse tipo. O sindicato entrará com o processo cabível para responsabilizar a todos que expuseram os investigadores em questão.

Cuiabá, 17 de outubro de 2018

EDLEUSA MESQUITA

Presidente do Sinpol-MT

 

Comentários