POLÍTICA ▸ AUDIÊNCIA

Qualidade dos serviços de telefonia e internet é debatido em Poconé

Uma audiência pública do deputado Romoaldo Júnior em Poconé, no auditório da Câmara de Vereadores, debateu a qualidade da telefonia móvel e da qualidade da conexão de internet banda larga na cidade. 

A principal reclamação dos moradores é que eles recebem muito menos sinal na internet do que contratam. A estudante Jadyéllen Dyonara de Almeida Silva, 17, da Escola Euracis, localizada no centro da cidade, reclamou que na instituição de ensino ninguém consegue fazer trabalhos, pacotes de cursos on line. A gente perde tudo pela falta de acesso à internet, disse. Além disso, segundo populares que participaram da audiência, no caso de ligações, as mesmas não completam. 

Empresários e comerciantes criticaram que não conseguem realizar transações bancárias e pagar boletos, o que acarreta perejuízos diários. Manoel Cândido de Siqueira, morador do Núcleo Habitacional Cidade Rosa, compareceu a audiência com um abaixo assinado contendo 116 assinaturas de pais de famílias decepcionados com os serviços da área. Ele destacou que quando chove, o sinal some por completo.

“Nós estamos aqui pedindo socorro. Eu quero agradecer o deputado Romoaldo e o vereador Marcio Fernandes - o Marcinho do MDB e também ao Procon estadual e municipal, que estão nos ajudando nessa questão. Aqui nesta audiência tivemos a oportunidade de receber a orientação de pessoas capacitadas e agora vamos ter mais forças para cobrar os nossos direitos junto às operadoras que, aliás, não estão nem aí com a gente, pois nenhuma delas mandou um representante para participar da audiência públicareunião”, desabafou Manoel Siqueira.

A secretária adjunta de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor Procon, Gisela Simona Viana de Souza, orientou sobre os direitos de cada um e falou da importância do usuário dos serviços reclamar de maneira oficial. Segundo ela, a maior parte das pessoas só tem a cultura de reclamar oficialmente por cobranças indevidas. Poconé tem 33 mil habitantes e o Procon só tem 33 reclamações de deficiência de serviço registradas no município. Se não oficializa, não tem como cobrar direitos, explicou Gisela ao  informar que para registrar uma reclamação o cidadão deve ir ao posto do Procon, que fica na Praça Matriz, em Poconé. Se conseguir acesso a internet, nem precisa sair de casa, basta acessar o endereço eletrônico: www.procononline.com.br.

A presidente da subseção da OABMT, Varzea Grande de Poconé, Flávia Moretti, ressaltou que nada pode ser feito pelo usuário dos serviços de telecomunicações se ele não registrar sua reclamação, especificar oficialmente o seu problema. A Agência Nacional de Telecomunicações tem o papel dela, o Procon tem o dele, mas nada pode ser feito se o usuário não fizer o seu registro. É preciso ocorrer uma mudança cultural, as pessoas devem parar de reclamar só no boca a boca, tem que registrar, oficializar”, conscientizou Flávia.

O representante da Anatel - agência reguladora, vinculada ao Governo Federal, que tem entre outras atribuições, a responsabilidade de regular o setor de telefonia, tanto fixa quanto celular, Joberto Araújo avisou que a empresa não consegue a melhoria dos serviços junto às operadoras, se não houver reclamações dos usuários. Para entrar em contato o interessado deverá acessar o endereço eletrônico www.anatel.gov.br, pelo telefone 1331 ou ainda baixar o aplicativo Anatel Consumidor.

“Em Poconé, temos apenas uma reclamação registrada. Se você não usar o seu direito de reclamar, não terá a garantia dos seus direitos”, esclareceu o gestor da Anatel.

Ao final da audiência as autoridades políticas da cidade agradeceram a realização do evento, comunicaram que irão realizar um mutirão nos próximos dias - para orientar e ajudar os usuários a fazerem oficialmente suas reclamações em seguida irão enviar a documentação a Anatel e ao Procon. Já em relação a ausência das operadoras de telefonia na audiência, os vereadores da cidade disseram que irão enviar, na próxima semana, uma moção de repúdio à Claro, Vivo, Oi, Tim e outras que proporcionam os serviços no município.

O deputado Romoaldo Júnior, autor da audiência pública, disse que o primeiro objetivo já foi alcançado. "Agora o cidadão poconeano já sabe como proceder para fazer as reclamações e cobrar seus direitos", disse. O deputado disse que espera que a qualidade dos serviços melhore na cidade o mais rápido possível. “Esperamos, o mais breve possível, que melhore a qualidade do serviço de celular em Poconé, vamos cobrar em nível estadual e nacional, porque no século em que nós estamos não pegar celular direito em uma cidade tão próxima da capital, é um absurdo. Ter uma comunicação acessível é fundamental para a inclusão das pessoas. Todos precisam, as empresas, os prestadores de serviço. As empresas responsáveis precisam investir mais para atender o consumidor", completou.

Comentários