POLÍTICA ▸ ZONA RURAL

Prefeito visita zona rural e ouve reivindicações de moradores locais

No sábado (11/05) o prefeito de Poconé, Tatá Amaral, juntamente com o secretário de Infraestrutura, Ney Rondon, secretário de Desenvolvimento Agropecuário, Adílio Pereira Leite, a secretária de Assistência Social Emprego e Renda, Joelma Gomes, e secretárioDesenvolvimento Urbano e Econômico, Amaral Junior, e o Vereador Juarez Dionizio estiveram visitando Comunidades e Assentamentos do município para ouvir as reivindicações dos moradores e sanar duvidas a respeito da suspensão das atividades da Escola Municipal de 1º Grau “Antônio Bruno de Oliveira”, anexo do Colégio São Benedito na Comunidade Bandeira em Poconé (104 km de Cuiabá).

Além de ouvir os moradores, a visita também teve por objetivo, apresentar o novo Secretário de Desenvolvimento Agropecuário Rural aos pequenos produtores rurais e lhes apresentar os novos projetos que a prefeitura vem desenvolvendo através de suas devidas secretarias. A primeira visita da caravana ocorreu na residência da Dona Antônia no Assentamento Furna do Buriti I, em seguida se dirigiram até a Comunidade Mundo Novo, Assentamento Rodeio, Campina II, Assentamento Maringá e Sete Porcos, chegando até Santa Filomena, Assentamento Central localizado na Comunidade Baia do Campo onde foi realizada uma importante reunião solicitada pelos moradores, para tratarem de assuntos relacionados à principal via de acesso a comunidade, e a construção de uma ponte de aproximadamente 12(doze) metros, que segundo o secretário de infraestrutura e o prefeito, é um compromisso feito pela gestão e que será realizado nos próximos meses.

A ultima reunião foi realizado na Comunidade Bandeira, o objetivo da mesma foi sanar as duvidas da população a respeito da suspensão Escola Municipal de 1º Grau “Antônio Bruno de Oliveira”, anexo do Colégio São Benedito, fato este que ocorreu por determinação do Ministério de Educação do Governo Federal, que suspende temporariamente o funcionamento de escolas da rede publica municipal na falta do numero de alunos necessários para o funcionamento de acordo com a PME N. 1791/2015 alterado pela lei 1932/2019. O Prefeito Tata Amaral em sua fala deixou claro que nesse caso, ele como prefeito é contra a suspensão, porém, não tem poderes para retornar o funcionamento da escola sem que a comunidade tome as medidas que lhes foram orientados na primeira reunião realizadaem seu gabinete.

Segundo a Diretora de Educação Eliane Souza, a comunidade a partir de agora, terá de cumprir com a determinação do Ministério de Educação e para que as aulas voltem a ser ministradas na comunidade, terá que constar no sistema, cerca de 12(doze) a 15(quinze) alunos matriculados, quantidade mínima por turma, para que desse modo, a prefeitura possa tomar as providencias necessárias e as aulas voltem a ser ministradas no local.

Comentários