NACIONAL ▸ RIO DE JANEIRO

Policial recebe ordem de prisão por não prestar continência a capitão em uma choperia

Um caso de prisão arbitrária de um policial dentro do 41ºBPM (Irajá) tem se arrastado desde o fim de semana. No último sábado, o cabo Thiago Santos foi preso por um capitão da PM, ainda não identificado, após recusar prestar continência ao oficial dentro da choperia Jacques, em Vista Alegre, na Zona Norte do Rio. O militar foi retirado do local e ficou cerca de 24 horas preso no batalhão de Irajá. O cabo entrou com um inquérito contra a prisão administrativa ilegal.

De acordo com o ex-PM Fábio Tobias, que cuida do caso de Thiago, ele e mais outros dois advogados foram até o batalhão solicitar documentos referentes à prisão. No local, o subcomandante do 41ºBPM, major Ivan Blaz, ex-porta-voz da corporação, pediu para que eles se retirassem. Ao negar o pedido e após uma breve discussão, Fábio foi algemado e preso: "Estavam três advogados representando o mesmo cliente. Me levaram com os braços para trás para dentro da sala do oficial de dia me deixando por 1h30 incomunicável. Não permitiram que os demais advogados falassem comigo", disse Fábio. Ele informou que irá tomar todas as medidas cabíveis sobre o caso. 

A Polícia Militar respondeu ao episódio alegando que a prisão do advogado "ocorreu por desobediência, pois o mesmo não acatou a ordem de suspender a realização de uma transmissão de vídeo ao vivo, no interior da unidade, sem a devida autorização do Comando", diz a PM. 

Comentários