POLÍTICA ▸ OPERAÇÃO

Pedro Taques diz que não teme investigação e que vai ser avaliado pela população

O governador Pedro Taques (PSDB), que na manhã desta quinta-feira (10) garantiu que não irá permitir que usem a prisão de seus primos para denegrir a imagem de sua família, afirmou que não teme a possibilidade de atrelarem seu nome ao caso. Os primos do governador, ex-secretário chefe da Casa Civil Paulo Taques e o advogado Pedro Jorge Zamar Taques, foram presos na segunda fase da Operação Bereré, que investiga esquema de corrupção no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Mato Grosso.

“Isso quem vai avaliar é o cidadão no momento correto”, disse Pedro Taques, ao ser questionado se a prisão de um ex-secretário de sua gestão e membro de sua família poderia macular a sua imagem. “Eu não tenho medo de julgamentos, eu não tenho medo de investigação, eu não tenho medo de absolutamente nada disso”, acrescentou o governador.

Esta é a terceira prisão de Paulo Taques, mas a primeira envolvendo investigação em esquema de corrupção. Nas outras duas vezes o advogado teve a liberdade restringida por supostamente estar envolvido no escândalo dos grampos ilegais operados em Mato Grosso, por núcleo da Polícia Militar.

É a primeira vez, no entanto, que o advogado Pedro Jorge Zamar Taques, irmão de Paulo Taques, é acusado de envolvimento em um dos esquemas. De acordo com o Ministério Público, ele utilizava de seu conhecimento jurídico para criar artimanhas que camuflassem o recebimento de propina e a participação de seu irmão no esquema.

Ao defender o nome de sua família, o governador Pedro Taques ponderou que não responde pelos erros dos outros, mas foi enérgico ao dizer que não irá permitir que joguem seu sobrenome “no lixo”.

“Ninguém está acima da lei, agora, eu não posso ser julgado por fatos que eu não cometi, simplesmente isso. A minha família está aqui desde 1720, não vou permitir que aqueles que roubaram Mato Grosso possam enxovalhar, menoscabar a minha família”, pontuou.

Comentários